Please use this identifier to cite or link to this item: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/1494
metadata.dc.type: Relatório de Pesquisa
Title: Identidade coletiva e direitos territoriais: os piaçabeiros do Rio Aracá
metadata.dc.creator: Elieyd Sousa de Menezes
metadata.dc.contributor.advisor1: Alfredo Wagner Berno de Almeida
metadata.dc.description.resumo: No Município de Barcelos- AM, situado à margem direita do Rio Negro, existe um grande potencial de piaçabais. A piaçaba é um nome de origem tupi que significa planta fibrosa ou pêlos que saem de dentro do coração da árvore e tem sido usada para designar pelo menos três espécies diferentes de palmeiras nativas do Brasil. Em Barcelos, a espécie desta palmeira é a Leopoldinia piassaba, e têm sido exploradas tradicionalmente pelos piaçabeiros , estes são quem extraem, cortam e beneficiam a fibra da piaçaba. Os piaçabais da região de Barcelos estão localizados na margem esquerda do Rio Negro, nos afluentes e subafluentes. Um piaçabal não se restringe somente à incidência de palmeiras, ao contrário, refere à unidade de produção com um complexo de relações sociais incorporadas nesta prática extrativista. Todo piaçabeiro trabalha para um patrão , estes se denominam donos dos igarapés , e consequentemente dos piaçabais. Cada piaçabeiro não pode vender o que extrai para qualquer pessoa, segundo as regras impostas pelo patrão . Ele poderá somente vender para o seu patrão , pelo preço proposto pelo próprio. Prevalece um sistema de imobilização da força de trabalho caracterizado por relação de patronagem. Percebemos que a construção política de uma identidade coletiva se relaciona com a percepção dos agentes sociais de que é possível assegurar o acesso aos recursos básicos de subsistência. Deste modo, a categoria piaçabeiro está sendo reivindicada como identidade coletiva, construída a partir das relações sociais de produção e das relações com a natureza. Configura-se então, do prisma deste projeto de pesquisa, uma característica de agrupamento, indicando um novo padrão de relação política assim também, como uma categoria atributiva e identificadora empregadas pelos próprios sujeitos sociais. Assim a Cooperativa Mista Agro-extrativista dos Povos Tradicionais do Médio Rio Negro COMAGEPT surge a partir de uma consciência de organização e reivindicação dos direitos territoriais dos povos tradicionais do Médio Rio Negro, dentre os quais, os piaçabeiros tomando o critério de ocupação e/ou atividade econômica específica como formas de agrupamento político. Esta se configura como uma unidade de mobilização , sendo composta por distintas identidades coletivas, como indígenas, ribeirinhos, piaçabeiros, dentre outros. Deste prisma, pretendemos refletir como se dão as relações sociais dentro do piaçabal e como essa categoria piaçabeiro está sendo utilizada para reivindicar os direitos territoriais deste grupo social, em Barcelos, especificamente no Rio Aracá, na colocação das Quatro Bocas . Para refletir sobre tal situação, esta pesquisa está sendo realizada no âmbito do Projeto Nova Cartografia Social da Amazônia -PNCSA Programa de Pós-Graduação em Sociedade e Cultura na Amazônia UFAM/Fundação Ford.
Abstract: 
Keywords: Piaçabeiros, Identidade Coletiva, Direitos Territoriais
metadata.dc.subject.cnpq: Ciências Humanas: Antropologia
metadata.dc.language: pt_BR
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Amazonas
metadata.dc.publisher.initials: UFAM
metadata.dc.publisher.department: Antropologia
Instituto de Ciências Humanas e Letras
metadata.dc.publisher.program: Programa PIBIC 2008
metadata.dc.rights: Acesso Restrito
URI: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/1494
Issue Date: 30-Jul-2009
Appears in Collections:Relatórios finais de Iniciação Científica

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.