Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/1981
Tipo de documento: Relatório de Pesquisa
Título: Seleção de genótipos de alface (Lactuca sativa L.) com potencial para produção na Região do Alto Solimões, Estado do Amazonas, Brasil.
Autor(a): Álvaro Camilo da Costa Bohorquez
Orientador(a): Marcelo de Almeida Guimarães
Resumo: A produção de alface na região amazônica é extremamente prejudicada devido as suas condições climáticas que causam consideráveis perdas para os agricultores. Os altos índices pluviométricos ao longo do ano danificam as plantas, sendo que a alta umidade relativa do ar e do solo podem proporcionar ambiente favorável ao desenvolvimento de fungos e bactérias, provocando redução considerável na produção e qualidade desta hortaliça folhosa. Por ser considerada planta de clima subtropical, produzindo folhas de qualidade sob temperaturas entre 12 e 22ºC, quando submetido a temperaturas acima de 22ºC, a alface pode emitir pendão floral, culminado na paralização de sua fase vegetativa. Quando isso acontece, o produto fica impróprio para o consumo e comercialização, já que suas folhas ficam com sabor amargo, em decorrência do acúmulo de látex. Na busca por cultivares adaptados a estas condições climáticas, verificou-se escassez de genótipos e/ou cultivares comerciais com potencial de produção sob as condições climáticas citadas anteriormente. Sendo que para a grande maioria dos cultivares de alface existentes, as temperaturas mínima e máxima toleradas, situam-se na faixa de 6 a 30ºC, respectivamente. A provável causa de escassez de genótipos e/ou cultivares pode ser relacionada principalmente à revolução verde e aos programas de melhoramento realizados pelas instituições de pesquisa e empresas multinacionais que, aos poucos substituiram a grande diversidade genética, hoje considerada de altíssima importância, por um pequeno número de variedades modernas melhoradas, o que causou uma irreversível diminuição da diversidade genética além do abandono de técnicas agrícolas tradicionais e a substituição globalizada das variedades localmente adaptadas. No entanto, os chamados Bancos de Germoplasma, se constituem ferramentas muito importantes na seleção de genótipos que melhor se adaptam às diferentes condições climáticas existentes em diversas regiões. Há mais de quatro décadas foi criado o Banco de Germoplasma de Hortaliças da Universidade Federal de Viçosa (BGH-UFV) com intuito de resgatar espécies nativas ou introduzidas, preservar, documentar e manter intercâmbio dos recursos genéticos com todo o Brasil e o mundo. Os recursos genéticos do BGH-UFV resultam de 44 anos de coletas que iniciaram em 1964. Atualmente, o BGH-UFV, possui mais de 7000 acessos, sendo 107 acessos pertencentes à espécie Lactuca sativa L. Baseado nas informações acima e na ausência de trabalhos que tenham sido desenvolvidos visando à seleção de genótipos de alface para produção na Região do Alto Solimões, objetiva-se neste projeto a seleção de genótipos de alface, do Banco de Germoplasma de Hortaliças da Universidade Federal de Viçosa, com potencial para produção na Região do Alto Solimões.
Resumo em outro idioma: 
Palavras-chave: Lactuca sativa L.
Banco de Germoplasma
morfologia
Área de conhecimento - CNPQ: Ciências Agrárias: Fitotecnia
Idioma: pt_BR
País de publicação: Brasil
Editor: Universidade Federal do Amazonas
Sigla da Instituição: UFAM
Faculdade, Instituto ou Departamento: Instituto de Natureza e Cultura - Benjamin Constant
Nome do programa: PROGRAMA PIBIC 2010
Tipo de acesso: Acesso Restrito
URI: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/1981
Data do documento: 1-jul-2011
Aparece nas coleções:Relatórios finais de Iniciação Científica

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.