Please use this identifier to cite or link to this item: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/2203
metadata.dc.type: Relatório de Pesquisa
Title: Estudo da produção e caracterização de enzimas proteolíticas produzidas por fermentação submersa de Bacillus sp. do ambiente amazônico.
metadata.dc.creator: Ana Luiza Menezes Teles
metadata.dc.contributor.advisor1: Raimundo Felipe da Cruz Filho
metadata.dc.description.resumo: Enzimas proteolíticas ou proteases catalisam a quebra das ligações peptídicas em proteínas, possuem importante papel em processos fisiológicos. As proteases constituem um dos mais importantes grupos de enzimas industriais representando aproximadamente 60% do total de enzimas comercializadas no mundo. As proteases termoestáveis produzidas por microrganismos do gênero Bacillus são o grupo mais importante de enzimas produzidas e representa cerca de 20% do total de enzimas comercializadas no mundo. Na indústria farmacêutica, as proteases são usadas em pomadas cicatrizantes e têm um uso potencial para outros medicamentos. O presente trabalho tem como objetivos isolar e identificar as bactérias proteolíticas do ambiente amazônico e também caracterizar o melhor funcionamento na utilização da enzima. O isolamento das bactérias será realizado com choque térmico e serão semeadas em placas de Petri, medindo 100 x15 mm, contendo Ágar gelatina-leite em seguidas incubadas a 37ºC por 24 horas. A presença de halo hialino ao redor da colônia será considerada positiva para atividade proteásica. As bactérias protease-positiva serão purificadas em ágar nutritivo para posterior identificação segundo a metodologia citada por COWAN et al. (1999). Os Bacillus protease-positiva identificados serão reativados em caldo nutritivo, a 37ºC por 24 horas dos quais serão, individualmente, retirados 1000 µmL para inoculação frasco de Erlenmeyer contendo 40 mL de Solução de Manachini, pH 7,0, adicionada de gelatina 1%. A determinação da atividade proteolítica será utilizado150 µL do extrato bruto e como substrato 250 µL azocaseína 1,0% (p/v) (Sigma, St. Louis, MO USA), em Tampão Tris-HCl 0,1 M, pH 7,2. A atividade da protease especifica é calculada pela razão entre a atividade proteásica total e a quantidade de proteína contida em 1000 μl as amostra (U/mg). O pH ótimo das proteases será determinado em diferentes valores de pH utilizando as seguintes soluções tampões: solução tampão citrato 0,2 M (pH de 4 a 6); solução tampão fosfato 0,2M ( pH de 7 a 8) e solução tampão Tris HCl 0,2 M (7.2 a 9) incubados à temperatura ambiente por 1 hora. Para avaliar o efeito da temperatura na atividade proteolítica, o sistema de reação e o branco serão realizados em triplicata e incubados nas temperaturas de 25oC, 30 ºC, 35oC, 40 oC, 45 oC, 50 oC, 55 oC, 60 oC , 65 oC, 70 oC, 75 oC e 80 oC por 1 hora e depois determinada a atividade enzimática.
Abstract: 
Keywords: Protease
Bacilllus
Enzimas.
metadata.dc.subject.cnpq: Ciências da Saúde: Analise e Controle e Medicamentos
metadata.dc.language: pt_BR
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Amazonas
metadata.dc.publisher.initials: UFAM
metadata.dc.publisher.department: Parasitologia
Instituto de Ciências Biológicas
metadata.dc.publisher.program: PROGRAMA PIBIC 2010
metadata.dc.rights: Acesso Restrito
URI: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/2203
Issue Date: 1-Jul-2011
Appears in Collections:Relatórios finais de Iniciação Científica

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.