Please use this identifier to cite or link to this item: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/2498
metadata.dc.type: Relatório de Pesquisa
Title: Investigação das subpopulações de células mucosas encontradas em Arapaima gigas submetidos em ambiente de água branca e água preta e sua influência na homeostase do animal
metadata.dc.creator: Janilson Moraes Serudo
metadata.dc.contributor.advisor1: Cleverson Agner Ramos
metadata.dc.description.resumo: Basicamente podemos definir três tipos celulares encontrados no epitélio branquial; as células pavimentosas (CPs) que são as mais numerosas; as células mucosas (CMs) que são responsáveis pela secreção de mucosubstâncias, e as células-cloreto (CCs), que são responsáveis pela absorção de íons Cl- e Ca2+ nos peixes de água doce e excreção de Na+ e Cl- nos peixes marinhos. As CMs e CCs estão distribuídas entre as CPs no epitélio que reveste o filamento branquial e, dependendo das características físicas e químicas da água, pode ocorrer proliferação das CCs no epitélio da lamela, o que aumenta a distância de difusão água-sangue. Pode ser feita uma relação entre microdobras apicais das CPS e as células mucosas de modo que as CPS são recobertas por glicocalix e uma fina camada de muco fica retida entre as microdobras provavelmente auxiliando na retenção do muco liberado pelas células mucosas. A função do muco pode ser relacionada desde a proteção do epitélio contra atrito ou choques mecânicos de partículas, prevenção contra infecções causadas por bactérias e fungos, prevenção contra ataques de parasitas até atração de íons que favoreceriam as trocas iônicas sendo que há a hipótese de que este é talvez o mais importante papel do muco nas brânquias de A. gigas, pois tanto células PAS+ quanto AB+ aumentam durante o desenvolvimento do animal. Considerando o tipo de água em que o animal é encontrado, o espessamento do epitélio e o aumento da atividade de CCs nestes animais, a hipótese de que o muco produzido pelas células mucosas tem papel na atração de íons para o favorecimento das trocas iônicas é aceitável e as células mucosas presentes no epitélio dos filamentos e seu mecanismo de secreção pode ser considerado um mecanismo para adaptação em condições adversas do ambiente aquático como nas alterações de concentrações de íons na água, portanto o objetivo do presente estudo é o de investigar os tipos de células mucosas, com base em suas glicosaminoglicanas (GAGs), presentes nas brânquias de A. gigas, um peixe de respiração aérea que apresenta suas brânquias muito mais relacionadas às funções de regulação iônica que respiratória nas etapas mais adiantadas de seu desenvolvimento, em função da exposição à água branca e preta por um período crônico.
Abstract: 
Keywords: células mucosas
glicosaminoglicanas
histoquímica
metadata.dc.subject.cnpq: Ciências Biológicas: Citologia e Biologia Celular
metadata.dc.language: pt_BR
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Amazonas
metadata.dc.publisher.initials: UFAM
metadata.dc.publisher.department: Ciências Morfológica
Instituto de Ciências Biológicas
metadata.dc.publisher.program: PROGRAMA PIBIC 2011
metadata.dc.rights: Acesso Restrito
URI: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/2498
Issue Date: 31-Jul-2012
Appears in Collections:Relatórios finais de Iniciação Científica

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.