Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/2530
Tipo de documento: Relatório de Pesquisa
Título: Análise dos Produtos da Maconha (Cannabis sativa) Apreendidos no Estado do Amazonas por CG/MS e EAA
metadata.dc.creator: Jario Dias Leal
metadata.dc.contributor.advisor1: Karime Rita de Souza Bentes
Resumo: Segundo dados do Relatório Mundial sobre Drogas/2009 do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime - UNODC, a apreensão de drogas entorpecentes cresceu significativamente no Brasil no período de 2002 a 2007, sendo que os maiores crescimentos foram de drogas sintéticas como ecstasy e LSD, mas também de haxixe e crack. A apresentação de dados estatísticos qualitativos e quantitativos sobre drogas entorpecentes ainda é pouco divulgada no cenário nacional. Se levarmos em consideração que tais dados estão diretamente relacionados aos números de apreensões e podem demonstrar perfis de tráfico e consumo de determinada região, a divulgação, análise e confronto desses dados com outros dos vários órgãos de segurança pública, poderá servir de parâmetro para uma melhor compreensão e avaliação sobre as ações públicas de enfrentamento ao tráfico ilícito de drogas. As ocorrências de apreensões de substâncias entorpecentes realizadas pelas forças policiais são as espécies isoladas da referida planta, das quais mais de 60 são canabinóides, o principal constituinte ativo da planta é o D-9-tetraidrocanabinol (D-9-THC), o qual se encontra em maior quantidade na mesma, bem como apresenta maior ação psicoativa. A apresentação de dados estatísticos qualitativos e quantitativos sobre drogas entorpecentes ainda é pouco divulgada no cenário nacional. Se levarmos em consideração que tais dados estão diretamente relacionados aos números de apreensões e podem demonstrar perfis de tráfico e consumo de determinada região, a divulgação, análise e confronto desses dados com outros dos vários órgãos de segurança pública, poderá servir de parâmetro para uma melhor compreensão e avaliação sobre as ações públicas de enfrentamento ao tráfico ilícito de drogas. A caracterização química detalhada dos produtos da maconha (Cannabis sativa), procedimento conhecido como estabelecimento do perfil da droga ou da impressão digital da droga 27-30, é crucial para se inferir a origem e identificação de materiais incorporados ã droga como diluentes, bem como para uma análise comparativa entre diferentes amostras, funcionando como base para se conhecer rotas de tráfico e servindo como ferramenta importante no controle ao narcotráfico. Entretanto, não foram encontrados na literatura estudos de determinação de perfil de amostras de produtos de maconha apreendidos no Brasil, especialmente no estado do Amazonas. Dada a grande complexidade e variabilidade das amostras, para a sua completa caracterização química são necessárias metodologias compostas de várias etapas envolvendo diferentes técnicas analíticas. A identificação e quantificação dos componentes presentes nas amostras de maconha, como por exemplo, diluentes orgânicos e inorgânicos, traços metálicos e materiais diversos acrescentados para aumentar o volume de material são fundamentais para se inferir a origem e os métodos de adulteração do material, bem como para uma análise comparativa entre diferentes amostras.
Resumo em outro idioma: 
Palavras-chave: Cannabis, CG/MS, EAA
Área de conhecimento - CNPQ: Ciências Exatas e da Terra: Quimica Analitica
Idioma: pt_BR
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Editor: Universidade Federal do Amazonas
metadata.dc.publisher.initials: UFAM
metadata.dc.publisher.department: Química
Instituto de Ciências Exatas
metadata.dc.publisher.program: PROGRAMA PIBIC 2011
Tipo de acesso: Acesso Restrito
URI: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/2530
Data do documento: 31-jul-2012
Aparece nas coleções:Relatórios finais de Iniciação Científica

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.