Please use this identifier to cite or link to this item: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/2635
metadata.dc.type: Relatório de Pesquisa
Title: Estudo fitoquímico e avaliação citotóxica e antioxidante de Xylopia excellens (Annonaceae)
metadata.dc.creator: Karen Medeiros Maciel
metadata.dc.contributor.advisor1: Maria Lucia Belém Pinheiro
metadata.dc.description.resumo: A Amazônia possui o maior ecossistema de floresta tropical do planeta e é considerada a maior reserva de plantas medicinais (DI STASI et al., 2002). As espécies nativas são ainda pouco conhecidas sob o ponto de vista científico. Em meio a esta grande diversidade amazônica, a família Annonaceae destaca-se pelo uso de inúmeras espécies na medicina popular, algumas das quais apresentando uma ampla quantidade de metabólitos secundários com atividades biológicas comprovadas. Apesar da importância dos membros dessa família na medicina popular, o número de espécies que têm sido investigadas é extremamente reduzido. Dentre as mais de 2500 espécies, apenas cerca de 10%, têm sido investigadas, mostrando que muitas delas ainda necessitam ser conhecidas e estudadas. Dentro desse contexto, torna-se importante um estudo mais detalhado das espécies de Xylopia nativas da região Amazônica. O gênero Xylopia L. constitui um dos maiores entre as Annonaceae, com cerca de 160 espécies, com ampla distribuição pantropical. No Brasil, Xylopia está representado por 25 espécies distribuídas por todo o país, principalmente na região Amazônica (CHATROU et al., 2004). Espécies desse gênero são conhecidas por seus usos etnomedicinais e atividade farmacológica. X. aromatica é um agente diurético e utilizada para tratamento de edema de pele (TAKARASHI et al., 2006), X. frutescens apresentou atividade anti¬microbiana (MACÊDO et al., 2004) e X. cayennensis atividade hipotensora (NASCIMENTO et al., 2006). Um grande número de componentes químicos tem sido isolado desse gênero, incluindo acetogeninas biologicamente ativas dentre elas a xylopiena e xylomatenina com atividade citotóxica (COLMAN-SAIZARITORIA et al.; 1994). Outros compostos foram também isolados como diterpenos e sesquiterpenos (MOREIRA et al., 2005), alcalóides (SILVA et al., 2009) e flavonóides (VEGA, 2007). Visando a continuação do estudo da flora do campus da Universidade Federal do Amazonas, o presente projeto tem como ênfase o estudo fitoquímico e avaliação citotóxico e antioxidante da espécie Xylopia excellens.
Abstract: 
Keywords: Xylopia, alcalóides, Artemia salina
metadata.dc.subject.cnpq: Ciências Exatas e da Terra: Quimica dos Produtos Naturais
metadata.dc.language: pt_BR
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Amazonas
metadata.dc.publisher.initials: UFAM
metadata.dc.publisher.department: Química
Instituto de Ciências Exatas
metadata.dc.publisher.program: PROGRAMA PIBIC 2011
metadata.dc.rights: Acesso Restrito
URI: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/2635
Issue Date: 31-Jul-2012
Appears in Collections:Relatórios finais de Iniciação Científica

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.