Please use this identifier to cite or link to this item: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/2668
metadata.dc.type: Relatório de Pesquisa
Title: Conflito e configuração: indivíduo e sociedade em Freud e Elias
metadata.dc.creator: Felipe Irnaldo Cruz da Costa
metadata.dc.contributor.advisor1: Marco Aurelio Coelho de Paiva
metadata.dc.description.resumo: A referência à psicanálise no âmbito da sociologia pode ser facilmente detectada em inúmeros trabalhos não só de autores contemporâneos, como também pode ser vislumbrada, a despeito de ser uma formulação concomitante, em autores considerados clássicos dentro da própria abordagem sociológica. É possível identificar na sociologia de Émile Durkheim elementos que em muito se aproximam dos pressupostos de Freud acerca do psiquismo, mesmo que tais pressupostos sejam aplicados em instâncias distintas, um no âmbito da coletividade e o outro no plano mais individualizado. Em muitos dos trabalhos com caráter mais sociológico de Freud, no entanto, é possível identificar um conjunto de autores franceses e alemães igualmente referenciados por Durkheim (Gustave Le Bom, Gabriel Tarde, Wilhelm Wundt). Mesmo que por vias indiretas, portanto, há uma relação de aproximação entre ambos. Georg Simmel é outro autor que, com a mesma formação de Freud, é citado pelo autor de O mal-estar da civilização. Não é difícil identificar ligamentos entre a obra de Freud e a de Norbert Elias caso se tome Simmel como um autor a viabilizar um contato entre os dois primeiros. É conhecida a forte inspiração nos textos de Freud dos trabalhos de Norbert Elias, desde O processo civilizador e A sociedade de corte, até os inúmeros escritos que, de um modo ou de outro, conservam o seu princípio analítico assentado na ideia central dos constrangimentos e recalques presentes na interação entre os indivíduos que fundamentam o processo civilizador (Mozart e A solidão dos moribundos, por exemplo). Ora, se tal relação entre investigações sociológicas e a psicanálise pode tornar-se relevante e produtiva do ponto vista do seu rendimento analítico, isso se deve em grande parte ao papel desempenhado pela vasta produção de Freud e, principalmente, de seus textos específicos que podem servir de substrato para a análise sociológica. Essa relação entre psicanálise e sociologia traz à tona, por sua vez, um problema central nas discussões teóricas acerca da cientificidade da própria sociologia: a problemática relação entre indivíduo e sociedade como elementos supostamente antagônicos e/ou complementares para o entendimento da realidade social. A obra de Norbert Elias, pode-se afirmar, está fundamentada a partir desse núcleo de reflexão desde o momento em que busca conferir a essa relação uma nova resolução, não mais substancialista, mas sim relacional.
Abstract: 
Keywords: Teoria Sociológica
Sigmund Freud
Norbert Elias
metadata.dc.subject.cnpq: Ciências Humanas: Sociologia
metadata.dc.language: pt_BR
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Amazonas
metadata.dc.publisher.initials: UFAM
metadata.dc.publisher.department: Ciências Sociais
Instituto de Ciências Humanas e Letras
metadata.dc.publisher.program: PROGRAMA PIBIC 2011
metadata.dc.rights: Acesso Restrito
URI: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/2668
Issue Date: 31-Jul-2012
Appears in Collections:Relatórios finais de Iniciação Científica

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.