Please use this identifier to cite or link to this item: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/2934
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisor1Davi Said Aidar-
dc.creatorEmanuela Cristina de Souza Dias-
dc.date.accessioned2016-09-23T15:24:30Z-
dc.date.available2016-09-23T15:24:30Z-
dc.date.issued2013-07-31-
dc.identifier.urihttp://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/2934-
dc.description.resumoA meliponicultura vem atingindo um desenvolvimento acelerado no Amazonas e no Brasil. A criação de abelhas é uma atividade que contribui para a conservação ambiental pela polinização que elas exercem. São responsáveis por até 90% do sucesso reprodutivo das plantas tropicais. É uma atividade que se enquadra perfeitamente dentro dos conceitos de diversificação e uso sustentado da terra na Amazônia. Integra-se aos plantios florestais, pomares e regeneração da vegetação natural degradada. Existem mais de 200 espécies de melíponíneos no Brasil, algumas delas freqüentemente criadas para a produção de Mel. As abelhas pertencentes à subfamília Meliponinae são chamadas popularmente de abelhas indígenas sem ferrão em razão de possuírem o ferrão atrofiado. São pertencentes ao grupo de abelhas sociais (Apidae), por isso, possuem corbícula, exceto o gênero Lestrimelitta e vivem em colônias constituídas por operarias, machos, rainhas fecundadas e rainhas virgens. As abelhas produtoras de mel organizam-se em três classes principais: as operárias, que providenciam a alimentação, a rainha que põe ovos e o zangão, que se acasala com a rainha. A principal função da rainha na colméia é realizar a postura de ovos férteis que darão origem as outras castas, mas será que o seu peso influência o tamanho de suas operárias? Sabe se que operárias maiores coletam maior quantidade de alimento, pólen e néctar, para dentro da colméia. Este trabalho propõe avaliar a relação, tanto no tamanho quanto no peso das rainhas e suas operárias da espécie Melipona seminigra merrillae. Será verificado se há correlação positiva entre o peso das rainhas e o peso de suas operárias. O experimento será realizado no Laboratório de Abelhas (LABEL), Setor Sul do Campus da Universidade Federal do Amazonas. Serão utilizadas na pesquisa cinco colméias de Melipona seminigra merrillae (Uruçu-boca-de-renda). As cinco rainhas serão pesadas e mensuradas. O mesmo será feito com 10 operárias filhas de cada rainha a cada mes durante 5 meses, que serão avaliadas por progressão simples. Será usado o teste T e correlação entre peso da rainha e peso da operária. Uma regressão linear será feita entre o peso da rainha e o peso da operária. A média será de 50 operárias por rainha.pt_BR
dc.description.sponsorshipFAPEAMpt_BR
dc.formatPDF-
dc.languagept_BRpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Amazonaspt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentProdução Animal e Vegetalpt_BR
dc.publisher.departmentFaculdade de Ciências Agráriaspt_BR
dc.publisher.programPROGRAMA PIBIC 2012pt_BR
dc.publisher.initialsUFAMpt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectMerrillae-
dc.subjectMelipona-
dc.subjectOperárias-
dc.subject.cnpqCiências Agrárias: Zootecniapt_BR
dc.titlePeso e tamanho de rainhas de Melipona seminigra merrillae (HYMENOPTERA, APIDAE, MELIPONINAE) e sua relação com o tamanho das operáriaspt_BR
dc.typeRelatório de Pesquisapt_BR
dc.pibic.cursoZootecniapt_BR
dc.pibic.nrprojetoPIB-A/0001/2012-
dc.pibic.projetoPeso e tamanho de rainhas de Melipona seminigra merrillae (HYMENOPTERA, APIDAE, MELIPONINAE) e sua relação com o tamanho das operárias-
dc.pibic.dtinicio2012-08-01-
dc.pibic.dtfim2013-07-31-
Appears in Collections:Relatórios finais de Iniciação Científica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Emanuela Cristina de Souza Dias.pdf525,29 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.