Please use this identifier to cite or link to this item: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/3166
metadata.dc.type: Relatório de Pesquisa
Title: Parental Control em navegadores Web
metadata.dc.creator: Diego Santos Azulay
metadata.dc.contributor.advisor1: Eduardo Luzeiro Feitosa
metadata.dc.description.resumo: Embora o advento da Internet tenha trazido uma série de benefícios, ela também traz consigo um grande problema: a falta de controle. Com a disponibilização da Internet de banda larga a um número cada vez maior de pessoas, a exposição de crianças e adolescentes a conteúdo ofensivo (pornografia, por exemplo) vem preocupando pais de todo o mundo. Em muitos casos, independente do status socioeconômico, basta um simples e inocente clique para que a criança ou adolescente seja exposto a material não apropriado. De acordo com um levantamento do Escritório de Justiça e Delinquência Juvenil do Departamento de Justiça dos Estados Unidos, 19% dos adolescentes americanos, utilizando a Internet, já recebeu uma mensagem ou um contato com conotação sexual. No Brasil, infelizmente, não existem estatísticas disponíveis. Os especialistas são unânimes em dizer que a abordagem mais recomendada contra os perigos da Internet é o diálogo entre pais e filhos. Contudo, muitas vezes essa solução não pode ser alcançada e a saída (solução) alternativa é usar ferramentas que exerçam o papel de controle dos pais. Soluções de controle dos pais (do inglês parental control) são aquelas que permitem aos pais ou responsáveis monitorar ou limitar o que crianças e adolescentes veem ou fazer restrições de tempo a certas atividades. No âmbito da Internet, ferramentas de parental control permitem aos pais ou responsáveis (vistos como administradores) monitorarem o que seus filhos (usuários) fazem na rede, permitindo a tomada de ações como o bloqueio do acesso a determinados sítios Web, especialmente aqueles com conteúdo considerado inapropriado. Entretanto, tais soluções não são parte de integrante dos navegadores Web. Dentre os mais famosos navegadores, Firefox , Chrome e Internet Explorer , somente o último fornece suporte a parental control. O Chrome não possui nenhum tipo de solução de parental control. Já o Firefox propõe a instalação de extensões (plug-ins) que realizem esse tipo de tarefa, onde os mais populares são: o Glubble, o FoxFilter, o LeechBlock, o ProCon Latte Content Filter e o PlayerGX. Foi neste contexto de poucas opções para parental control em navegadores Web que o projeto anterior (PIBIC-E-0132-2011) foi proposto. Desenvolvido para dar suporte ao navegador Web Chrome, a solução elaborada e denominada de CURUPIRA é uma extensão (plug-in) que permite aos pais, por exemplo, bloquear sítios Web considerados inadequados a seus filhos, definir senhas para o acesso a determinados conteúdos, definir o horário de uso, desabilitar o acesso a vídeos via Web, entre outras funcionalidades.
Abstract: 
Keywords: Parental Control, Web, Navegadores
metadata.dc.subject.cnpq: Ciências Exatas e da Terra: Ciencia da Computacao
metadata.dc.language: pt_BR
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Amazonas
metadata.dc.publisher.initials: UFAM
metadata.dc.publisher.department: Ciências da Computacao
Instituto de Ciências Exatas
metadata.dc.publisher.program: PROGRAMA PIBIC 2012
metadata.dc.rights: Acesso Restrito
URI: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/3166
Issue Date: 31-Jul-2013
Appears in Collections:Relatórios finais de Iniciação Científica

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.