Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/3760
Tipo de documento: Relatório de Pesquisa
Título: INVESTIGAÇÃO DA ADULTERAÇÃO DE ÓLEO DIESEL POR ÓLEOS IN NATURA, GORDURAS SATURADAS E QUEROSENE UTILIZANDO A TÉCNICA DE INFRAVERMELHO MÉDIO NA CIDADE DE MANAUS.
metadata.dc.creator: Adalton Robson Pinto da Costa
metadata.dc.contributor.advisor1: Larissa Silveira Moreira Wiedemann
Resumo: O diesel é um combustível composto por uma mistura de hidrocarbonetos alifáticos de cadeia longa, anéis policíclicos, compostos de enxo¬fre e nitrogênio, ainda que estes últimos estejam em pequenas proporções (SOARES, 2011). Atualmente o óleo diesel classifica-se como óleo diesel de uso rodoviário e óleo diesel para uso marítimo, onde para o uso marítimo é proibida a adição de óleo vegetal, sebo animal ou resíduos. O biodiesel é um combustível obtido de fontes renováveis, composto de misturas de ésteres de cadeia longa que pode ser obtido por transesterificação de óleos vegetais e gorduras animais. As características químicas do biodiesel permite a mistura com a matriz do diesel, possibilitando redução nas emissões de enxofre e melhorando as características químicas do diesel (SOARES, 2011). A Lei no 11.097 de 13 de janeiro de 2005 aprovada pelo Congresso Brasileiro regulamentou a adição de biodiesel na matriz energética brasileira e estabeleceu um percentual mínimo de 2% de teor de biodiesel. Esse percentual foi aumentando gradativamente e até o ano de 2013, a meta seria a adição de 5% obrigatório e 8% facultativo. Desde o ano de 2010, o Brasil adota o percentual de 5% e já acontece discussões para que esse percentual seja aumentado de 7% a 10%, a fim de ajudar na economia do País e reduzir a emissão de poluentes atmosféricos com compostos de enxofre. Diante do exposto as práticas de adulterações e fraudes no setor de combustíveis, no Brasil, tem sido intensas e tem levado a uma ampla discussão. A adulteração de combustíveis tem como principal característica a mistura de substâncias diferentes ou acima das especificações, permitindo que o produto adulterado fique fora de especificação e os ganhos econômicos para o revendedor se evidencie (MARINHO, 2008). Diante do cenário, diversos métodos analíticos têm sido propostos para identificar adulterações tanto no percentual de biodiesel que é adicionado ao diesel, quanto para verificar se foi adicionado ao diesel, óleo vegetal ou mesmo residual ou querosene ao invés de biodiesel (MEIRA, 2011). Este trabalho objetiva a identificação de adulterantes no óleo diesel por óleos in natura, gorduras saturadas e querosene, determinada através de espectrofotometria de infravermelho médio com transformada de Fourier, associadas à análise de componentes principais e agrupamento hierárquico, onde se pretende verificar a correlação entre as diversas variáveis analisadas.
Resumo em outro idioma: 
Palavras-chave: biodiesel, adulteração, infravermelho
Área de conhecimento - CNPQ: Ciências Exatas e da Terra: Quimica Analitica
Idioma: pt_BR
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Editor: Universidade Federal do Amazonas
metadata.dc.publisher.initials: UFAM
metadata.dc.publisher.department: Química
Instituto de Ciências Exatas
metadata.dc.publisher.program: PROGRAMA PIBIC 2013
Tipo de acesso: Acesso Restrito
URI: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/3760
Data do documento: 31-jul-2014
Aparece nas coleções:Relatórios finais de Iniciação Científica

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.