Please use this identifier to cite or link to this item: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/3809
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisor1Marcos Batista Machado
dc.creatorMara Santos Ramos
dc.date.accessioned2016-09-23T15:39:32Z-
dc.date.available2016-09-23T15:39:32Z-
dc.date.issued2014-07-31
dc.identifier.urihttp://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/3809-
dc.description.abstractpt_BR
dc.description.resumoO Brasil é um país megadiverso. Estima-se que o Brasil abriga cerca de 20% de toda biodiversidade mundial, predominantemente distribuída em ecossistemas florestais, e que a Amazônia contém aproximadamente 25% das florestas remanescentes do planeta. Dentre as diversas famílias de angiospermas ocorrentes na Amazônia, destaca-se a família Myrtaceae, constituída por 130 a 140 gêneros e estimada entre 3.000 e 4.000 espécies. Diversas espécies dessa família são usadas na medicina como antidiarreico, anti-inflamatório, antifúngico, antioxidante, antitumoral, no tratamento de diabetes e no combate ao câncer. Dentre os diversos gêneros de Myrtaceae ocorrentes na Amazônia, destaca-se nesta proposta Myrcia citrifolia, uma das espécies conhecidas popularmente como pedra-umecaá , a qual é utilizada popularmente no combate à diabetes. Apesar do amplo uso de Myrcia citrifolia na medicina popular, existem poucos estudos acerca da química desta espécie. Nesse contexto, propõe-se estudar a composição química de folhas e caules de Myrcia citrifolia, bem como investigar as atividades antioxidante e hipoglicêmica de extratos de diferentes polaridade. Os extratos serão obtidos por maceração a frio utilizando solventes pertencentes a diferentes grupos químicos, utilizando-se o método do triângulo de seletividade proposto por Snyder e Kirkland. Para determinação de perfil químico, esses extratos serão analisados por espectrometria de massas assistida por ferramentas estatísticas e quimiométricas. Os potenciais antioxidantes desses extratos serão medidos por meio de ensaio de sequestro do radical DPPH.. Nesta proposta, avaliar-se-á também a atividade hipoglicêmica dos diferentes extratos de M. citrifolia em ratos da raça Wistar. Os resultados das atividades antioxidante e hipoglicêmica poderão auxiliar no isolamento futuro dos constituintes químicos responsáveis pelas respostas a serem observadas.pt_BR
dc.description.sponsorshipFAPEAMpt_BR
dc.formatPDF
dc.languagept_BRpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Amazonaspt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentQuímicapt_BR
dc.publisher.departmentInstituto de Ciências Exataspt_BR
dc.publisher.programPROGRAMA PIBIC 2013pt_BR
dc.publisher.initialsUFAMpt_BR
dc.rightsAcesso Restritopt_BR
dc.subjectMyrcia
dc.subjectfitoquímica
dc.subjectatividade hipoglicemica
dc.subject.cnpqCiências Exatas e da Terra: Quimica dos Produtos Naturaispt_BR
dc.titleEstudo fitoquímico e investigação das atividades antioxidante e hipoglicêmica de Myrcia citrifolia (Myrtaceae) (Aubl.) Urb.pt_BR
dc.typeRelatório de Pesquisapt_BR
dc.pibic.cursoQuímica - Licenciaturapt_BR
dc.pibic.tipobolsa
dc.pibic.nrprojetoPIB-E/0101/2013
dc.pibic.projetoEstudo fitoquímico e investigação das atividades antioxidante e hipoglicêmica de Myrcia citrifolia (Myrtaceae) (Aubl.) Urb.
dc.pibic.dtinicio2013-08-01
dc.pibic.dtfim2014-07-31
Appears in Collections:Relatórios finais de Iniciação Científica

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.