Please use this identifier to cite or link to this item: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/4255
metadata.dc.type: Relatório de Pesquisa
Title: Caracterização dos impactos socioespaciais e ambientais do igarapé do núcleo 11 Cidade Nova 2 (Manaus AM)
metadata.dc.creator: Leticia da Silva Lima
metadata.dc.contributor.advisor1: Deivison Carvalho Molinari
metadata.dc.description.resumo: O bairro da Cidade Nova começou a ser construído no começo da década de 1980. O projeto inicial deveria ter cerca de quinze mil casas, porém foram entregues somente 1.800 na primeira etapa da construção, onde é hoje a Cidade Nova 1. A finalidade da Cidade Nova era atender a população oriunda do interior em busca de emprego no Pólo Industrial de Manaus, quando fora criada nem se imaginava que esta parte da Zona Norte iria se tornar o maior bairro de Manaus (Jornal do Comércio, 2006). O bairro foi feito de núcleos habitacionais construídos por etapas. A primeira etapa inaugurada em 1981, a segunda entre 1984 a1985, foram construídas outras três mil casas, formando até o núcleo 14. O 15 foi construído na terceira etapa, na quarta etapa o 16, onde seria do núcleo 17 ao 20 transformou-se nos bairros Amazonino Mendes e Mutirão, em 1988, saindo do projeto original. Na quinta etapa foi construído o núcleo 21 ao 24 (Jornal do Comércio, 2006). Pode-se observar que no processo de urbanização como conceitua (MOURA, 2010) é importante compreender o papel do Estado como possuidor de complexa e variada gama de ações que afetam, tanto as grandes empresas como a população em geral. Em Manaus os conjuntos habitacionais produzidos pelo Estado e as ocupações espontâneas são os vetores da expansão das cidades. É diante desta realidade de expansão que se obteve o aumento de problemas, agravando a situação ambiental urbana: resíduos sólidos, falta de esgoto, redução da cobertura vegetal, poluição do ar, alteração microclimática, erosão, acréscimo da população para essa área e poluição dos igarapés, onde neste trabalho pretende destacar a investigação da dinâmica da população que ainda reside em áreas próximas a igarapés pertencentes a Cidade Nova. Diversos estudos são/foram realizados em Manaus acerca de igarapés, principalmente no centro da cidade. No entanto, outras áreas carecem de investigações, como é o caso da zona norte, o bairro Cidade Nova. Devido a forte ocupação na zona norte, e pelo fato de a Cidade Nova ser o maior bairro de Manaus, observa-se as peculiaridades do bairro como: conjuntos habitacionais, e em algumas áreas até mesmo a presença de invasões , na qual direciona a fixação de moradores ao redor dos canais e nascentes, não obedecendo a lei, favorecendo a deflagração de impactos socioambientais. Através dessa realidade, e em busca de mais resultados que possam garantir a observação da problemática é que este trabalho direciona-se ao trecho do núcleo 11. Diante disso, surgem os seguintes questionamentos: a) Qual o grau de intervenção antrópica no igarapé? b) Quais as conseqüências ambientais para a APP? C) Quais os tipos de impactos socioambientais mais freqüentes?
Abstract: 
Keywords: impactos socioespaciais
Cidade Nova
Manaus
metadata.dc.subject.cnpq: Ciências Humanas: Geografia
metadata.dc.language: pt_BR
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Amazonas
metadata.dc.publisher.initials: UFAM
metadata.dc.publisher.department: Geografia
Instituto de Ciências Humanas e Letras
metadata.dc.publisher.program: PROGRAMA PIBIC 2013
metadata.dc.rights: Acesso Restrito
URI: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/4255
Issue Date: 31-Jul-2014
Appears in Collections:Relatórios finais de Iniciação Científica

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.