Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/4782
Tipo de documento: Relatório de Pesquisa
Título: O icnogênero Arthrophycus: Taxonomia e implicações paleoambientais para a Formação Nhamundá (Siluriano) da Bacia do Amazonas
metadata.dc.creator: Tamna Gadelha da Silva
metadata.dc.contributor.advisor1: Valquiria Porfirio Barbosa
Resumo: A icnologia é o ramo da Paleontologia que se dedica ao estudo dos vestígios, uma categoria de fósseis na qual estão inseridas todas as evidências indiretas da existência e/ou da presença de organismos, seja na forma de impressões, como através de estruturas resultantes do metabolismo e/ou da atividade biológica destes organismos. Os vestígios são formalmente designados de icnofósseis ou traços-fóseis e entre seus principais representantes estão: moldes, contramoldes, ovos, coprólitos, gastrólitos, pegadas, pistas, trilhas, escavações, perfurações, tubos e túneis. Entre os diferentes tipos de traços-fósseis, aqueles representativos de atividades de bioturbação do substrato possuem interesse particular para a Sedimentologia e para a Estratigrafia por serem considerados indicativos ideais de fácies sedimentares (icnofácies), o que se deve principalmente pela sua ocorrência in situ e por, em geral, não sofrerem retrabalhamento. Além disso, embora os organismos que os geraram possam ter sido diferentes, os mecanismos biológicos de formação e mesmo a morfologia dos traços-fósseis não se modificou substancialmente desde o Cambriano, de modo que, independente da idade dos depósitos as icnofácies podem ser estudadas em diferentes níveis, envolvendo desde análises regionais até investigações laterais e verticais de uma única camada. Os icnofósseis são, por isso, ferramentas de grande importância tanto para a ampliação do registro fossilífero e do conhecimento da evolução biológica e da paleoecologia dos metazoários, como também para a reconstrução de sucessões estratigráficas, fornecendo informações como situação e deformação estrutural das camadas; estimativas da velocidade e de taxas de deposição e erosão; tendências de aeração dos sedimentos; e reconhecimento de superfícies estratigráficas, entre outros. Assim, considerando o significativo registro do icnogênero Arthrophycus em depósitos Silurianos da Fromação Nhamundá (Bacia do Amazonas) e a carência ainda premente de estudos taxonômicos destes fósseis, pretende-se com a realização deste trabalho desenvolver uma análise taxonômica detalhada de amostras que pertencem a este icnogênero visando, entre outros fatores, a avaliação de seu potencial como ferramenta de interpretação paleoambiental para os depósitos da sequência estudada.
Resumo em outro idioma: 
Palavras-chave: Arthrophycus, Taxonomia, Formação Nhamundá
Área de conhecimento - CNPQ: Ciências Exatas e da Terra: Paleontologia Estratigrafica
Idioma: pt_BR
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Editor: Universidade Federal do Amazonas
metadata.dc.publisher.initials: UFAM
metadata.dc.publisher.department: Geociências
Instituto de Ciências Exatas
metadata.dc.publisher.program: PROGRAMA PIBIC 2014
Tipo de acesso: Acesso Restrito
URI: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/4782
Data do documento: 31-jul-2015
Aparece nas coleções:Relatórios finais de Iniciação Científica

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.