Please use this identifier to cite or link to this item: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/4887
metadata.dc.type: Relatório de Pesquisa
Title: USO DE EXTRATO DE PLANTAS DA AMAZÔNIA SOBRE O CUPIM (Cryptotermes brevis Walker) EM CONDIÇÕES EXPERIMENTAIS.
metadata.dc.creator: Alline da Silva Rufino
metadata.dc.contributor.advisor1: Adriana Dantas Gonzaga
metadata.dc.description.resumo: Os cupins são um grupo de insetos (Isoptera) consistindo de 2.500 espécies dos quais 300 são considerados pragas. Os cupins são uma das principais pragas nos trópicos e podem causar problemas consideráveis na agricultura, silvicultura e habitação.Existem várias famílias e sub-famílias. Alguns fazem ninhos subterrâneos, outros em madeira, por exemplo, árvores ocas, e alguns constroem montes.Por isso,o controle desses animais trona-se indispensável tanto do ponto de vista social quanto econômico. Futuramente a biotecnologia será utilizada no controle de pragas, fazendo modificações genéticas nas plantas. Essas plantas receberiam os herbicidas mas somente as ervas daninhas seriam destruídas. Já outras plantas foram criadas para resistir a pragas sem uso de pesticidas e outros seriam resistentes tanto a herbicidas como a insetos. Existe porém, uma preocupação de que as variedades melhoradas poderão causar mais resistência às pragas, e uma possível transferência das propriedades genéticas de plantas modificadas para ervas daninhas resistentes aos herbicidas. E não se sabe os efeitos de longo prazo do consumo dessas plantas geneticamente alteradas, tanto em seres humanos como em animais.Com a crescente importância dos movimentos sociais inspirados no paradigma ambientalista, nos países industrializados tem havido uma maior preocupação com a melhoria da qualidade ambiental e dos padrões de produção, com consequente aumento na procura por práticas agropecuárias favoráveis à conservação da qualidade do meio ambiente. Entre essas práticas tem-se destacado o manejo dos sistemas de produção (ou produção integrada ) e a integração de sistemas produtivos em um mesmo espaço (Pimentel et al., 1992). Para o controle alternativo das pragas, medidas alternativas têm sido testadas (Matos, 1970; Santos et al., 1988;Penteado, 2000) visando o uso de plantas tóxicas. Para Schmutter (1988) apud Castiglioni & Vendramim (2003), os produtos derivados devegetais com atividades inseticidas são considerados como apropriados para o seu uso no manejo integrado de pragas por ser menos agressivos ao meio ambiente, com o efeito residual de poucos dias, além de que a resistência dos insetos a estes produtos são mais lentas. A toxicidade de uma substância química em insetos não a qualifica necessariamente como um inseticida. Diversas propriedades devem estar associadas à atividade, tais como eficácia mesmo em baixas concentrações, ausência de toxicidade frente a mamíferos, ausência de fitotoxicidade, fácil obtenção, manipulação e aplicação, viabilidade econômica e não ser cumulativa no tecido adiposo humano e de animais domésticos (Viegas, 2003).
Abstract: 
Keywords: Cupins, controle alternativo, plantas toxicas
metadata.dc.subject.cnpq: Ciências Agrárias: Fitossanidade
metadata.dc.language: pt_BR
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Amazonas
metadata.dc.publisher.initials: UFAM
metadata.dc.publisher.department: Instituto de Saúde e Biotecnologia - Coari
metadata.dc.publisher.program: PROGRAMA PIBIC 2014
metadata.dc.rights: Acesso Restrito
URI: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/4887
Issue Date: 31-Jul-2015
Appears in Collections:Relatórios finais de Iniciação Científica

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.