Please use this identifier to cite or link to this item: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/4993
metadata.dc.type: Relatório de Pesquisa
Title: Desenvolvimento sustentável e práticas aquícolas em Humaitá AM
metadata.dc.creator: Matheus Costa Nogueira
metadata.dc.contributor.advisor1: André Moreira Bordinhon
metadata.dc.description.resumo: Para a atividade aquícola ser considerada viável e se apresentar como alternativa econômica permanente é fundamental que se observe seu papel socioeconômico e ambiental, além de apenas aspectos relacionados à sua rentabilidade. Neste contexto, a observação e cuidado com medidas ligadas à preservação ambiental são partes imprescindíveis do processo produtivo. A produção de organismos aquáticos em cativeiro, como qualquer outra atividade que envolve produção de alimentos, acarreta necessariamente na modificação do ambiente na qual foi implantada, e, portanto, as práticas adotadas determinam a sustentabilidade da atividade. neste contexto apresenta-se como estratégia de gerenciamento da expansão da atividade por meio de medidas de gerenciamento em aquicultura nos níveis locais (por fazenda aquícola), gerenciamento por meio de governança regional e gerenciamento da produção pesqueira global. Em qualquer destes níveis a aquicultura sustentável deveria ser executada observando uma abordagem ecossistêmica. Tal abordagem poderia ter como base o Código de Conduta para Pesca Responsável , que tem como preceitos: o desenvolvimento da atividade no contexto do funcionamento dos ecossistemas, sem degradação além de sua resiliência; esta deve melhorar as condições de vida das pessoas e promover oportunidades aos envolvidos com justiça; e que a aquicultura deve ser desenvolvida levando em conta as políticas e objetivos de outros setores (como as políticas para a pesca extrativista). A partir desta perspectiva, pode se tornar relevante analisar a expansão da atividade de criação de organismos aquáticos em Humaitá, devido à crescente a preocupação com os rumos tomados pela atividade, no que tange a responsabilidade ambiental a economicidade da produção, as conseqüências para sociedade e sua contribuição para do desenvolvimento da região. Portanto, é fundamental avaliar os processos que objetivam gerenciar o processo de implantação de novas fazendas aquícolas no município e diagnosticar qual o planejamento para o desenvolvimento do setor nesta região.
Abstract: 
Keywords: Desenvolvimento rural, Aquicultura sustentável
metadata.dc.subject.cnpq: Ciências Agrárias: Aquicultura
metadata.dc.language: pt_BR
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Amazonas
metadata.dc.publisher.initials: UFAM
metadata.dc.publisher.department: Instituto de Agricultura e Ambiente - Humaitá
metadata.dc.publisher.program: PROGRAMA PIBIC 2015
metadata.dc.rights: Acesso Restrito
URI: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/4993
Issue Date: 31-Jul-2016
Appears in Collections:Relatórios finais de Iniciação Científica

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.