Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/5041
Tipo de documento: Relatório de Pesquisa
Título: Melatonina como modulador da agressividade e parâmetros fisiológicos em matrinxã, Brycon amazonicus
Autor(a): Damy Caroline de Melo Souza
Orientador(a): Thais Billalba Carvalho
Resumo: O matrinxã está entre as espécies com grande potencial para a piscicultura comercial na Amazônia, devido ao seu bom desempenho produtivo. No entanto, essa espécie exibe alta frequência de comportamento agressivo, o que compromete o crescimento, o bem estar e a sobrevivência dos animais. Dentre outros fatores, a ação de hormônios pode modular a interação social em peixes, pois essas substâncias químicas afetam o sistema motivacional central da agressividade. Assim, este estudo irá avaliar o efeito da melatonina sobre o comportamento agressivo e parâmetros fisiológicos de matrinxã, Brycon amazonicus. Para isso, 20 indivíduos serão medidos (8 a 10 cm), pesados, isolados por 96 horas e submetidos a diferentes concentrações de melatonina, com oito repetições cada: menor (0uM), intermediária (1uM) e maior (10UM). A agressividade será avaliada pela frequência de ataques e exibições emitidos para um espelho que será colocado na lateral direita externa do aquário a cada 24 horas durante o isolamento, sendo a interação agressiva registrada em cada período de observação por meio de filmagens com duração de 60 minutos. Para a análise da interação agressiva serão consideradas as seguintes unidades comportamentais: batida de cauda, confronto frontal, exibição frontal e mordida. Também será avaliada a latência para a exibição do comportamento e o total de interações. Antes e após o período de isolamento serão realizadas coletas de sangue para as análises hematológicas e bioquímicas plasmáticas. A latência para os confrontos e os parâmetros hematológicos e bioquímicos plasmáticos serão comparados entre os tratamentos por Análise de Variância de uma via (teste paramétrico) ou por Kruskal-Wallis (teste não paramétrico). Diante do exposto, a avaliação do efeito dos hormônios sobre o comportamento agonístico permitirá o entendimento da modulação endócrina sobre o contexto social e, consequentemente, o desenvolvimento de técnicas aplicadas a sistemas de produção animal. O estudo de fatores moduladores do comportamento agressivo também é de extrema relevância para o desenvolvimento de procedimentos que visem melhorar o desempenho, rentabilidade e sustentabilidade das práticas durante a cadeia produtiva de B. amazonicus.
Resumo em outro idioma: 
Palavras-chave: comportamento agressivo, hormônio, peixe
Área de conhecimento - CNPQ: Ciências Biológicas: Fisiologia Comparada
Idioma: pt_BR
País de publicação: Brasil
Editor: Universidade Federal do Amazonas
Sigla da Instituição: UFAM
Faculdade, Instituto ou Departamento: Ciências Fisiológicas
Instituto de Ciências Biológicas
Nome do programa: PROGRAMA PIBIC 2015
Tipo de acesso: Acesso Restrito
URI: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/5041
Data do documento: 31-jul-2016
Aparece nas coleções:Relatórios finais de Iniciação Científica

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.