Please use this identifier to cite or link to this item: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/5274
metadata.dc.type: Relatório de Pesquisa
Title: Avaliação de um programa de reabilitação sob a força e capacidades respiratória em idosos institucionalizados com diagnóstico de fragilidade.
metadata.dc.creator: Carla Taynah Nascimento e Silva
metadata.dc.contributor.advisor1: Elisa Brosina de Leon
metadata.dc.description.resumo: A síndrome da fragilidade é conceituada por duas correntes principais. Para a primeira, fragilidade é sinônimo de comorbidades, incapacidade e idade avançada. Para a segunda, estas três condições contribuiriam para a fragilidade, mas são insuficientes para explicar o conceito. Segundo Hogan e cols. e Rockwood e cols., processos moleculares e fisiológicos presentes no envelhecimento normal podem ter seus efeitos intensificados por influência de variáveis genéticas e de estilo de vida, dando origem a perdas e a declínio mais graves, característicos de condições de doença, dependência e vulnerabilidade a estressores. A despeito de não haver uma definição concisa sobre fragilidade na pessoa idosa, de um modo geral, este termo tem sido entendido como um processo prolongado de incapacidade que indica vulnerabilidade, predisposição ao declínio funcional e, no estágio mais avançado, à morte As manifestações clínicas mais evidentes nesta síndrome inclui a redução da ingestão alimentar, perda de peso, perda de massa e força muscular (sarcopenia), causando fadiga e descondicionamento cardiorrespiratório. Isto leva o idoso à inatividade física e à dificuldade em realizar as funções diárias formando um ciclo vicioso que pode ser acelerado por doenças, imobilidade, depressão e medicamentos. Em relação à disfunção respiratória e fragilidade, tem-se mostrado forte associação entre redução da capacidade funcional respiratória e aumento de risco de morte em idosos comunitários. Apesar de amostra reduzida, um estudo recente brasileiro incluindo espirometria e manovacuometria encontrou associação entre fragilidade e diminuição das pressões respiratórias máximas em idosos. Tais associações ainda carecem de futuros estudos que as ratifiquem. O presente trabalho trata-se de um estudo experimental. A população a ser estudada será de indivíduos que possuam 60 anos ou mais no momento da coleta dos dados, ambos os sexos, residentes de Instituição de Longa Permanência localizada em Manaus AM (Fundação Dr. Thomas) e que concordem em participar da pesquisa, por meio da assinatura no Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE) da referente pesquisa. O tamanho da amostra será de 20 idosos com diagnóstico de frágil ou pré-fragil no momento da avaliação. Os idosos serão submetidos a um protocolo de reabilitação por um período de 4 mesess. A avaliação da força muscular e capacidades ventilatórias, além do estado funcional serão mensuradas antes e após a aplicação do protocolo.
Abstract: 
Keywords: Idosos
Fragilidade
Reabilitação
metadata.dc.subject.cnpq: Ciências da Saúde: Fisioterapia e Terapia Ocupacional
metadata.dc.language: pt_BR
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Amazonas
metadata.dc.publisher.initials: UFAM
metadata.dc.publisher.department: Faculdade de Educação Física e Fisioterapia
Faculdade de Educação Física e Fisioterapia
metadata.dc.publisher.program: PROGRAMA PIBIC 2015
metadata.dc.rights: Acesso Restrito
URI: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/5274
Issue Date: 31-Jul-2016
Appears in Collections:Relatórios finais de Iniciação Científica

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.