Please use this identifier to cite or link to this item: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/5847
metadata.dc.type: Livro
Title: Transbordando as fronteiras: lenguajes desde el entrelugar, resistencia y pluralidad en los Brasiles
metadata.dc.creator: Tallei, Jorgelina Ivana
Teixeira, Wagner Barros
metadata.dc.description.resumo: Fronteira, fronteiras, barreiras ou pontes? Divisão/ões que separa(m) dois ou mais mundos – linguísticos, culturais, imaginários ou reais, sociais ou subjetivos – ou que os une(m)? Um velho dilema, com interpretações variadas, dependendo de quem as oferece e da perspectiva que adota. Fronteiras não são o mesmo para o âmbito do poder, preocupado com a demarcação territorial, e para o âmbito de quem as vivencia, de quem as sente. As fronteiras, sejam elas entendidas como barreiras ou como pontes para serem cruzadas, sem restrições, medos nem traumas, manifestam-se de muitas formas, não apenas nos territórios – entre nações, regiões, estados, municípios, zonas, bairros, mas, também, entre raças, etnias, classes, variedades, variantes e registros de línguas, modalidades e espaços de produção... As fronteiras nos habitam também quando olhamos para nós mesmos, para nosso interior, porque, de modo mais ou menos conflitivo, somos muitos, inclusive quando olhamos para nossas próprias línguas e para os falares: estes nos situam e nos dividem ou unem, nos incluem ou excluem, posto que a língua é um poderoso instrumento político, lugar de poder.
Abstract: Frontier, borders, barriers or bridges? Division / s that separates two or more worlds - linguistic, cultural, imaginary or real, social or subjective - or that unite them? An old dilemma, with different interpretations, depending on who offers them and the perspective that you adopt. Borders are not the same for the scope of power, concerned with territorial demarcation, and for the those who experience them, who feel them. Borders, whether understood as barriers or as bridges to be crossed, without restrictions, fears or traumas, manifest in many ways, not only in territories - between nations, regions, states, municipalities, zones, neighborhoods, but also between races, ethnicities, classes, varieties, variants and records of languages, modalities and production spaces ... Borders also inhabit us when we look at ourselves, at our interior, because, in a more or less conflicting way, we are many, even when we look at our own languages ​​and to speak them: these situate and divide us or unite, include or exclude us, since the language is a powerful political instrument, a place of power.
Keywords: Ensino
Espanhol
metadata.dc.subject.cnpq: LINGUÍSTICA, LETRAS E ARTES
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/5847
Issue Date: 28-Jan-2021
metadata.dc.subject.controlado: Linguística
Língua espanhola
Fronteiras linguísticas
Tríplice fronteira
Appears in Collections:Livros e Capítulos de livros

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Livro_TransbordandoFronteiras.pdfLivro3,83 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.