Please use this identifier to cite or link to this item: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/1478
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisor1Adriana Maria Coimbra Horbe-
dc.creatorIsmael Robson Campos Pereira-
dc.date.accessioned2016-09-23T14:09:26Z-
dc.date.available2016-09-23T14:09:26Z-
dc.date.issued2009-07-31-
dc.identifier.urihttp://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/1478-
dc.description.resumoO solo é um produto formado na superfície da Terra como resultado da desagregação e decomposição das rochas pela ação do intemperismo. Ele pode ter origen in situ, a partir do intemperismo da rocha subjacente. No Brasil a EMBRAPA classificou os solos, a partir de levantamentos (estudos) sistemáticos e os dividiu em 14 classes. Na região Amazônica os solos são geralmente muito homogêneos em termos de textura e estrutura, porém há variações na sua composição química e mineralógica o que sugere uma possível contribuição de material alóctone (Horbe et al 2001). Há três tipos básicos de solo na região os Latossolos, os Argissolos e os Gleissolos, os quais marcam zonas geomorfológicas distintas: os platôs, colinas e encostas de platôs e os vales aluviais respectivamente. Estudos realizados sugerem algumas possibilidades para a formação do Latossolo como, por exemplo associados à sedimentação de material distal que foi transportado e, posteriormente depositado em um grande lago de extensão Amazônica (depósitos lacustres) (Sombroek 1966; Truckenbrodt e Kortschoubey 1981); sedimentos transportados por fluxo de lama para regiões rebaixadas, poderiam também dar origem ao Latossolo (Kotschoubey e Duarte 1994). Há ainda a possibilidade desses solos serem formados a partir do intemperismo de crostas lateríticas (Lucas 1997, Horbe e Costa 1997, 1999, 2005). A partir da determinação das características químicas de 5 perfis estudados, os quais encontram-se ao longo da BR-174 (Manaus- Pres. Figueiredo, Formação Alter do Chão) e AM-010 (Manaus- Itacoatiara, Formação Novo Remanso) será possível quantificar a composição mineralógica e verificar a distribuição dos elementos-traços. Esses dados, bem como a estrutura, textura, granulometria e mineralogia obtidos no projeto anterior (PIB-E-001), permitirão discutir o ambiente e as condições de formação do solo, bem como traçar considerações sobre aporte de material alóctone.pt_BR
dc.description.sponsorshipFAPEAMpt_BR
dc.formatPDF-
dc.languagept_BRpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Amazonaspt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentGeociênciaspt_BR
dc.publisher.departmentInstituto de Ciências Exataspt_BR
dc.publisher.programPrograma PIBIC 2008pt_BR
dc.publisher.initialsUFAMpt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectIintemperismo-
dc.subjectLatossolopor
dc.subjectElementos-traçopor
dc.subject.cnpqCIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA: GEOLOGIApt_BR
dc.titleQuímica de solos sobre crostas lateríticas e linhas de pedra no NE do Estado do Amazonaspt_BR
dc.typeRelatório de Pesquisapt_BR
dc.pibic.cursoGeologiapt_BR
dc.pibic.nrprojetoPIB-E/0001/2008-
dc.pibic.projetoQuímica de solos sobre crostas lateríticas e linhas de pedra no NE do Estado do Amazonas-
dc.pibic.dtinicio2008-08-01-
dc.pibic.dtfim2009-07-31-
Appears in Collections:Relatórios finais de Iniciação Científica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Ismael Robson Campos Pereira.pdf781,34 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.