Please use this identifier to cite or link to this item: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/2154
metadata.dc.type: Relatório de Pesquisa
Title: Estudo randômico controlado duplo-cego de ligadura elástica de hemorróidas única versus tripla
metadata.dc.creator: Érico Lima de Melo
metadata.dc.contributor.advisor1: Ivan Tramujas da Costa e Silva
metadata.dc.description.resumo: A ligadura elástica de hemorróidas é tratamento já consagrado para hemorróidas de 2º grau. Pode ser feita por meio do tratamento de uma só hemorróida por sessão ou por mais de uma. Há defensores da ligadura única, assim como os há para a ligadura múltipla, cada corrente apregoando as vantagens da modalidade defendida. Quem liga uma hemorróida por sessão afirma que as complicações são menores e o procedimento é menos doloroso. Quem procede à ligadura de mais de uma hemorróida por sessão defende que a doença hemorroidária do paciente é tratada com maior rapidez, não necessitando de novos retornos para novas ligaduras e que, se bem realizada, a ligadura múltipla não difere da única em termos de complicações e dor pós-procedimento. Por não haver estudo similar nacional publicado a respeito do assunto, este trabalho pretende estudar de forma randômica, controlada e com duplo mascaramento a ligadura única de hemorróidas versus a ligadura de três hemorróidas numa sessão. Para tanto serão recrutados 70 pacientes portadores de hemorróidas de 2º grau, maiores de 18 anos de idade, sem afecções orificiais e sem comorbidades que cursem com algum grau de imunossupressão, que serão alocados por sorteio em um de dois grupos: G1 de pacientes a serem submetidos à ligadura de uma hemorróida por sessão; e G2 de pacientes a serem submetidos à ligadura de três mamilos hemorroidários numa sessão. Os pacientes não saberão a que grupo pertencem. A ligadura elástica será feita pela técnica aspirativa de McGown. Na primeira consulta, os pacientes do Grupo G1 terão uma hemorróida ligada e duas simulações de ligadura nas hemorróidas adicionais. Os pacientes do grupo G2 terão todas as suas hemorróidas ligadas. Todos os pacientes deverão retornar para reconsulta após 30, 60 e 90 dias da ligadura inicial. Se forem do grupo G1, nas sessões dos 30 e 60 dias, uma nova ligadura será feita e duas outras simuladas. Se forem do grupo G2, três ligaduras serão simuladas. No retorno dos 90 dias os pacientes serão inquiridos a respeito dos resultados dos procedimentos: intensidade da dor pós-sessão de ligadura, segundo escala visual de Wong; resolução ou não dos sintomas hemorroidários; grau de satisfação com o método, segundo escala visual de Wong modificada; tempo de absenteísmo do trabalho em decorrência do tratamento; e presença ou não de complicações. Os dados serão levantados pelo pesquisador responsável que não saberá a quais pacientes eles se referem. A análise estatística das variáveis categóricas será feita pelos testes do Chi-quadrado, G ou exato de Fisher para tabelas de contingência. Significância estatística será considerada para valores de p < 0,05.
Keywords: Hemorróida
Tratamento
Dor
metadata.dc.subject.cnpq: Ciências da Saúde: Cirurgia Proctológica
metadata.dc.language: pt_BR
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Amazonas
metadata.dc.publisher.initials: UFAM
metadata.dc.publisher.department: Clínica Cirúrgica
Faculdade de Ciências da Saúde
metadata.dc.publisher.program: PROGRAMA PIBIC 2010
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/2154
Issue Date: 1-Jul-2011
Appears in Collections:Relatórios finais de Iniciação Científica

Files in This Item:
File SizeFormat 
PIB-S_0008_2010_RELATORIO_FINAL-2.pdf1,33 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.