Please use this identifier to cite or link to this item: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/2905
metadata.dc.type: Relatório de Pesquisa
Title: Efeito erosivo de um produto amazônico (tucupi): estudo in situ
metadata.dc.creator: Gabriela de Figueiredo Meira
metadata.dc.contributor.advisor1: Maria Augusta Bessa Rebelo
metadata.dc.description.resumo: O consumo de bebidas ácidas pode ser considerado como um dos fatores etiológicos extrínsecos do desgaste dental, que se caracteriza por um tipo de lesão predominantemente cervical, não cariosa e que se desenvolve como conseqüência da perda gradual de estrutura dental causada por ação química (ácidos e/ou quelantes), sem o envolvimento de bactérias. A ação química pode ser resultante de fatores intrínsecos, tais como ácido gástrico devido ao refluxo, vômito e bulimia ; ou extrínsecos, como ácidos ambientais provenientes do cigarro e da indústria, piscinas cloradas e bebidas ácidas, como sucos cítricos e refrigerantes. Considerando a carência de estudos de bebidas ácidas da região amazônica e sua relação com a erosão, pesquisas tem sido realizadas. Um estudo in vitro demonstrou que uma iguaria amplamente utilizada na culinária amazônica, o Tucupí, tem potencial erosivo, porém é necessário uma maior investigação. Sendo assim, o objetivo do presente estudo é avaliar, in situ, o potencial erosivo do Tucupí. O produto será adquirido no Mercado Municipal de Manaus. Como controles serão utilizados salivação natural e Coca-Cola®. Nove adultos voluntários participarão do estudo “cross-over” realizado em duas fases de 7 dias cada. Para cada fase, um dispositivo intra-oral palatino de resina acrílica com oito blocos de esmalte dental humano, de microdureza conhecida, será construído para os voluntários. Os dispositivos serão usados diariamente, inclusive para dormir, removendo-os durante as refeições. Para simular o desafio erosivo, será colocada uma gota do produto a ser testado sobre cada bloco dental e após isto o dispositivo será recolocado na boca e este procedimento será repetido 4 vezes ao dia. Após 7 dias os blocos serão removidos dos dispositivos e analisados quanto à microdureza superficial que será medida com a utilização de um microdurômetro (Shimadzu HMV-2000), com um diamante Knoop, com carga de 50g por 5 segundos Os dados obtidos serão comparados entre os diferentes substratos.
Keywords: Erosão dentária
Esmalte dentário
Teste de dureza
metadata.dc.subject.cnpq: Ciências da Saúde: Odontologia
metadata.dc.language: pt_BR
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Amazonas
metadata.dc.publisher.initials: UFAM
metadata.dc.publisher.department: Faculdade de Odontologia
Faculdade de Ciências da Saúde
metadata.dc.publisher.program: PROGRAMA PIBIC 2011
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/2905
Issue Date: 31-Jul-2012
Appears in Collections:Relatórios finais de Iniciação Científica

Files in This Item:
File SizeFormat 
Relatorio_final_Corrigido_PIB-S_0088-2011_DAP.pdf919,53 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.