Please use this identifier to cite or link to this item: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/3092
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisor1Valdir Florêncio da Veiga Junior-
dc.creatorIsadora da Silva Moita-
dc.date.accessioned2016-09-23T15:25:19Z-
dc.date.available2016-09-23T15:25:19Z-
dc.date.issued2013-07-31-
dc.identifier.urihttp://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/3092-
dc.description.resumoA busca por constituintes, em patologias que atualmente não são tratadas de modo eficiente,como antitumorais, antimicrobiana e desordens do Sistema Nervoso Central (SNC) torna-se uma necessidade para contribuir no desenvolvimento de novos fármacos. Os trabalhos de Berkov et al. (2008) e Barbosa Filho et al. (2006) associam a ação de inibir a enzima acetilcolinesterase das espécies estudadas de diferentes famílias com a presença de alcaloides, devido ao fato de que a maioria das substâncias que apresentam atividade inibidora de acetilcolinesterase serem alcaloides. Dessa forma, as famílias detentoras desta classe de metabólitos tornam-se uma fonte promissora para a utilização de métodos para analisar esta atividade. O estudo fitoquímico de Ocotea ceanothifolia que apresentam poucos estudos fitoquímicos descritos na literatura, aliado a testes para o biomonitoramento desses extratos são úteis e auxiliarão na descrição de atividades biológicas promissoras e a investigação do perfil químico desse gênero, assim como o isolamento de substâncias que contribuirão para o conhecimento da química dos produtos naturais presentes na floresta amazônica. Estudos preliminares demonstraram atividade antioxidante e a presença de alcaloides e flavonoides em uma prospecção fitoquímica realizada com extratos etanólicos de sete espécies da família Lauraceae. Neste, esta espécie apresentou-se mais promitente devido a baixa complexidade dos extratos, possibilitando o isolamento de substâncias e uma alta atividade antioxidante comparada com o padrão quercetina (Yamaguchi, 2011). Propõe-se então um estudo fitoquímico do extrato de média polaridade dos galhos e folhas de Ocotea ceanothifolia, o fracionamento, o isolamento e a identificação de substâncias presentes nessa espécie e uma avaliação das atividades antioxidante e inibição da enzima acetilcolinesterase de frações e/ou substâncias isoladas através ensaios químicos e biológicos.pt_BR
dc.description.sponsorshipCNPQpt_BR
dc.formatPDF-
dc.languagept_BRpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Amazonaspt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentQuímicapt_BR
dc.publisher.departmentInstituto de Ciências Exataspt_BR
dc.publisher.programPROGRAMA PIBIC 2012pt_BR
dc.publisher.initialsUFAMpt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectAlcalóides-
dc.subjectColinesterase-
dc.subjectAnti-Oxidante-
dc.subject.cnpqCiências Exatas e da Terra: Química dos Produtos Naturaispt_BR
dc.titleEstudo fitoquímico e atividades biológicas de Ocotea ceanothifolia (Lauraceae)pt_BR
dc.typeRelatório de Pesquisapt_BR
dc.pibic.cursoQuímica - Bachareladopt_BR
dc.pibic.nrprojetoPIB-E/0002/2012-
dc.pibic.projetoEstudo fitoquímico e atividades biológicas de Ocotea ceanothifolia (Lauraceae)-
dc.pibic.dtinicio2012-08-01-
dc.pibic.dtfim2013-07-31-
Appears in Collections:Relatórios finais de Iniciação Científica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Isadora da Silva Moita.pdf680,88 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.