Please use this identifier to cite or link to this item: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/4582
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisor1Renata Takeara-
dc.creatorClycia Anaíze Nobre de Nazaré-
dc.date.accessioned2016-09-23T15:47:51Z-
dc.date.available2016-09-23T15:47:51Z-
dc.date.issued2015-07-31-
dc.identifier.urihttp://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/4582-
dc.description.resumoPesquisas recentes mostraram que extratos de plantas podem exercer atividade antioxidante sendo indicado para atenuar ou prevenir os efeitos deletérios do estresse oxidativo celular. Loranthaceae compreende plantas hemiparasitas que são utilizadas no tratamento de diversas doenças. Já foram descritos terpenos, lignanas, flavonóides, carboidratos, ácidos aminados, fenilpropanóides, taninos, antraquinonas e alcalóides nessa família. A atividade, antioxidante atribuída aos flavonoides, tem sido demonstrada em diversas literaturas. A atividade antioxidante tem sido descrita, como parte do mecanismo de proteção natural dos vegetais nos processos de oxidação, usado na proteção contra microrganismos e insetos, o chamado EROs (Espécies Reativas de Oxigênio). O consumo de substâncias antioxidantes em humanos tem sido relacionado com a inibição dos processos de inflamação, câncer e proteção do sistema imunológico. As utilizações de relatos mais frequentes de plantas da família Loranthaceae se referem ao efeito anti-hipertensivo, com ação sobre a pressão sanguínea e anti-inflamatório. O objetivo deste trabalho é analisar a presença de metabólitos secundários e a atividade antioxidante pelo método do DPPH nos extratos e frações de Struthanthus sp parasita da munguba (LSM001) e Phthirusa sp parasita do ingá (LPI). O material botânico será coletado a margem direita do Rio Amazonas no município de Itacoatiara-AM. As folhas secas e trituradas serão extraídas com etanol. Os extratos serão analisados para a presença de metabólitos secundários por meio de ensaios cromáticos em tubos de ensaio e em placas cromatográficas de gel sílica (CCD). A determinação do teor de fenóis totais será realizado pelo método de Follin-Ciocalteu e atividade antioxidante pelo método fotocolorimétrico de radical livre estável DPPH (2,2-difenil-1-picrilidrazila). O imenso potencial de produção de substâncias antioxidantes em espécies de Loranthaceae e os escassos estudos das espécies da Amazônia poderiam contribuir substancialmente para apoiar os poucos estudos quimiotaxonômicos de Loranthaceae. Nesse sentido, a avaliação da composição química e o estudo de atividades biológicas dos extratos brutos de plantas da família Loranthaceae da região poderão contribuir para investigações futuras que levem ao desenvolvimento de produtos com aplicação medicinal, cosmético entre outros.pt_BR
dc.description.sponsorshipFAPEAMpt_BR
dc.formatPDF-
dc.languagept_BRpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Amazonaspt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentInstituto de Ciências Exatas e Tecnologia - Itacoatiarapt_BR
dc.publisher.programPROGRAMA PIBIC 2014pt_BR
dc.publisher.initialsUFAMpt_BR
dc.rightsAcesso Restritopt_BR
dc.subjectLoranthaceae-
dc.subjectFenóis totais-
dc.subjectAntioxidantes-
dc.subject.cnpqCIÊNCIAS DA SAÚDE: FARMACOGNOSIApt_BR
dc.titleProspecção fitoquímica e atividade antioxidante de Struthanthus sp parasita da munguba e Pthirusa sp parasita do ingá - Loranthaceaept_BR
dc.typeRelatório de Pesquisapt_BR
dc.pibic.cursoCiências Farmacêuticaspt_BR
dc.pibic.nrprojetoPIB-S/0026/2014-
dc.pibic.projetoProspecção fitoquímica e atividade antioxidante de Struthanthus sp parasita da munguba e Pthirusa sp parasita do ingá - Loranthaceae-
dc.pibic.dtinicio2014-08-01-
dc.pibic.dtfim2015-07-31-
dc.contributor.colaboradorAnderson Cavalcante Guimarães-
dc.contributor.Latteshttp://lattes.cnpq.br/0662433264074199-
Appears in Collections:Relatórios finais de Iniciação Científica

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.