Please use this identifier to cite or link to this item: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/5250
metadata.dc.type: Relatório de Pesquisa
Title: Viabilidade ceular de nanopartículas de Óxido de Ferro para o tratamento de Leishmaniose cutânea
metadata.dc.creator: Jamilly Rebouças Demosthenes Marques
metadata.dc.contributor.advisor1: Ayrles Silva Gonçalves Barbosa Mendonça
metadata.dc.description.resumo: As doenças tropicais, em especial a leishmaniose tegumentar americana, constituem um problema de saúde pública e um grande desafio para a descoberta de novos métodos de tratamentos. Ela é uma patologia provocada por um protozoário flagelado e transmitida por fêmeas de insetos, sendo no Brasil e, em especial na região amazônica, considerada uma zoonose. Estima-se que pelo menos 12 milhões de pessoas estejam infectadas pela leishmaniose, a qual é prevalente em cinco continentes, sendo considerada endêmica em 98 países. O arsenal terapêutico atual para esta doença encontra-se em desenvolvimento, pois as drogas até então utilizadas tem demonstrado limites quanto a sua eficácia, isso porque além da heterogeneidade das formas clinicas, há ainda pouca inovação na utilização dos fármacos e métodos de tratamento das lesões e da própria patologia como um todo, sendo a maioria do tratamento oriundo de compostos introduzidos em 1945 (antimoniais). Assim, devido ao limitado arsenal de agentes antiparasitários eficazes e ao freqüente aparecimento de quimioresistência e efeitos colaterais, gerados pelas medicações convencionais, existe uma necessidade urgente e contínua para o desenvolvimento de novos medicamentos contra esta doença. Dentre os métodos de tratamento, com eficácia ainda em avaliação por ensaios preliminares e estudos pilotos, destaca-se a aplicação de nanobiotecnologia (como nanopartículas de óxidos) com ou sem a ação de hipertemia. Desse modo, o objetivo geral do presente projeto é a avaliação de viabilidade celular para soluções de nanopartículas de óxido de ferro, revestidas com substâncias atóxicas e biocompatíveis (metilglucamina e ácido glicurônico), os quais provavelmente permitirão a agregação do conjunto, nanopartículas e ligante, às células alvos. Assim, a metodologia do projeto se baseará em ensaios in vitro intencionando a verificação da potencialidade leishmanicida dessas soluções, com ou sem à técnica de hipertermia por aplicação de ondas curtas. Portanto, espera-se que quando da aplicação dos mesmos haja efeitos térmicos e/ou efeitos celulares diretos que levem a morte do patógeno ou da célula infectada.
Keywords: Nanobiotecnologia
Leishmaniose
Ondas-curtas
metadata.dc.subject.cnpq: Ciências da Saúde: Fisioterapia e Terapia Ocupacional
metadata.dc.language: pt_BR
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Amazonas
metadata.dc.publisher.initials: UFAM
metadata.dc.publisher.department: Faculdade de Educação Física e Fisioterapia
Faculdade de Educação Física e Fisioterapia
metadata.dc.publisher.program: PROGRAMA PIBIC 2015
metadata.dc.rights: Acesso Restrito
URI: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/5250
Issue Date: 31-Jul-2016
Appears in Collections:Relatórios finais de Iniciação Científica

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.