Please use this identifier to cite or link to this item: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/5291
metadata.dc.type: Relatório de Pesquisa
Title: Práticas discriminatórias por profissionais de saúde na Região Metropolitana de Manaus
metadata.dc.creator: Bruno Vianei Real Antonio
metadata.dc.contributor.advisor1: Marcus Tolentino Silva
metadata.dc.description.resumo: Introdução: A discriminação caracteriza-se como o tratamento de maneira diferenciada e frequentemente desigual a indivíduos informal ou formalmente reunidos em determinada classe, podendo aquela ser motivada pela raça, etnia, cor, status econômico, grau de escolaridade, religião, gênero, idade, nacionalidade ou enfermidade do paciente. A percepção da discriminação pelo paciente está associada com abstenção da busca por assistência em saúde. Entender como a discriminação e seu impacto pode afetar os pacientes é imprescindível para reduzir as disparidades na assistência em saúde, garantir qualidade e competência na prestação do serviço, identificar barreiras e desenvolver estratégias de promoção de saúde. Objetivos: Estimar a prevalência de práticas discriminatórias por profissionais de saúde na Região Metropolitana de Manaus e avaliar os tipos de discriminação mais comuns praticados: falta de dinheiro, classe social, raça/cor, tipo de ocupação, tipo de doença, preferência sexual, religião/crença, sexo e idade. Justificativas: A discriminação nos serviços de assistência em saúde é tema relevante para ser estudado no Brasil, particularmente no Amazonas. Não foram encontrados estudos referentes a este tema realizados na Região Metropolitana de Manaus. Além disso, por meio dos resultados obtidos, este estudo contribuirá para a elaboração de políticas públicas visando ao combate de práticas discriminatórias em assistências de saúde, melhorando a qualidade do atendimento nesses serviços. Métodos: Estudo transversal de base populacional, a ser realizado entre maio a julho de 2015 nos municípios de Manaus, Presidente Figueiredo, Manacapuru, Careiro da Várzea, Rio Preto da Eva, Novo Airão, Iranduba e Itacoatiara. Serão elegíveis adultos a partir de 18 anos. Os dados serão coletados por meio de questionário semiestruturado, pré-codificado e previamente validado, a ser respondido pelo próprio participante por meio de entrevista face a face. As seguintes variáveis serão usadas na identificação de práticas discriminatórias por profissionais de saúde: renda/falta de dinheiro; classe social; raça/cor; tipo de ocupação; tipo de enfermidade; preferência sexual; religião/crença; sexo; e idade. Todas as variáveis de caracterização da amostra serão analisadas por estatística descritiva. Para identificar os fatores relacionados à ocorrência de discriminação em serviços de saúde, será calculada a razão de prevalência ajustada por meio da Regressão de Poisson com variância robusta. Será considerado o delineamento amostral complexo nas análises. A multicolinearidade será investigada por cálculo do indicador de tolerância. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Amazonas, parecer 974.428/2015, tendo recebido o CAAE 42203615.4.0000.5020 e recebeu financiamento do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ).
Keywords: Discriminação
Profissionais da Saúde
Amazonas
metadata.dc.subject.cnpq: Ciências da Saúde: Saúde Pública
metadata.dc.language: pt_BR
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Amazonas
metadata.dc.publisher.initials: UFAM
metadata.dc.publisher.department: Saúde Coletiva
Faculdade de Ciências da Saúde
metadata.dc.publisher.program: PROGRAMA PIBIC 2015
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/5291
Issue Date: 31-Jul-2016
Appears in Collections:Relatórios finais de Iniciação Científica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Bruno Vianei Real Antonio.pdf647,13 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.