Please use this identifier to cite or link to this item: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/5295
metadata.dc.type: Relatório de Pesquisa
Title: Prospecção química e avaliação da atividade citotóxica e inibição enzimática em extratos e frações de resíduos de Mezilaurus itauba e Tabebuia serratifolia, econômicas da Amazônia brasileira
metadata.dc.creator: Kelly Nascimento Bento
metadata.dc.contributor.advisor1: Renata Takeara
metadata.dc.description.resumo: As plantas são um laboratório biossintético de uma miríade de compostos químicos tais como hidrocarbonetos, proteínas, gorduras, flavonoides, glicosídeos, fenólicos, taninos, terpenos, fenilpropanóides, terpenoides, alcaloides, esteroides, resinas, etc. Os fitoconstituintes podem ser encontrados em qualquer parte (ou em todas as partes) da planta: Folhas, cascas, sementes, frutos, flores, etc. No segmento acadêmico, a convicção da importância dos recursos naturais para o desenvolvimento vem de longa data. No Brasil, inúmeros trabalhos vem sendo realizados com o objetivo de embasar cientificamente, a utilização de plantas como recurso terapêutico. Lauraceae é uma grande família de plantas, com cerca de 50 gêneros e 2500 a 3000 espécies amplamente distribuídas nas zonas tropicais e subtropicais. A literatura demonstra presença de alcaloides, flavonoides, terpenos, lignanas e neolignanas, sendo esses dois últimos a classe de metabólitos mais representativa. A família Bignoniaceae é representada por cerca de 850 espécies e 120 gêneros distribuídos em 8 tribos, sendo espécies arbóreas, arbustivas e trepadeiras. Estudos químicos da família revelaram as classes químicas lignanas, flavonoides, terpenos, (iridóides e triterpenos), ácidos cinâmicos, naftoquinonas e alcaloides (raramente encontrados). Muitas dessas plantas não foram submetidas a investigações químicas e/ou farmacológicas. Ensaios com atividades enzimáticas de extratos de plantas têm sido demonstrados em diversas literaturas. A capacidade inibitória de enzimas, aparentemente negativa, pode ser utilizada de forma benéfica como no tratamento da obesidade, diabetes, entre outras doenças. Os resultados da avaliação da atividade citotóxica frente ao microcrustáceo A. salina poderá direcionar para outros ensaios biológicos como: antifúngico, viruscida, antimicrobiano, parasiticida O estudo químico dos metabólitos secundários presentes nas madeiras e de suas atividades biológicas dos extratos brutos das espécies da região poderão contribuir fornecendo subsídios para investigações futuras. Os resíduos de amostras vegetais das cascas de Mezilaurus itauba e Tabebuia serratifolia serão coletados de espécimes já identificados nas madeireiras que operam na região de Itacoatiara. Em seguida, elas serão secas a sombra e trituradas em temperatura ambiente. O material seco e moído será extraído com etanol por refluxo e fracionado com solventes em ordem crescente de polaridade. Os extratos e frações serão analisados para a presença de metabólitos secundários por meio de ensaios cromáticos em tubos de ensaio e em placas cromatográficas de gel sílica (CCD). O ensaio de toxicidade frente ao microcrustáceo Artemia salina Leach será realizado conforme a literatura descrita por MEYER (1982) e o ensaio de inibição da enzima lipase será realizado segundo a metodologia de Lee et al (1993).
Keywords: Bignoniaceae
Lauraceae
Citotoxicidade
metadata.dc.subject.cnpq: Ciências da Saúde: Farmacognosia
metadata.dc.language: pt_BR
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Amazonas
metadata.dc.publisher.initials: UFAM
metadata.dc.publisher.department: Instituto de Ciências Exatas e Tecnologia - Itacoatiara
metadata.dc.publisher.program: PROGRAMA PIBIC 2015
metadata.dc.rights: Acesso Restrito
URI: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/5295
Issue Date: 31-Jul-2016
Appears in Collections:Relatórios finais de Iniciação Científica

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.