Please use this identifier to cite or link to this item: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/5911
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisor1Souza, Margarida Carmo de-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/5637046730418800pt_BR
dc.contributor.referee1Corrêa, Geone Maia-
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/7274488066461409pt_BR
dc.contributor.referee2Martins, Valdomiro Lacerda-
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/8035609656589581pt_BR
dc.creatorAguiar, Diana da Costa-
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/1425584656840750pt_BR
dc.date.accessioned2021-07-19T18:59:17Z-
dc.date.available2021-08-01-
dc.date.available2021-07-19T18:59:17Z-
dc.date.issued2021-07-08por
dc.identifier.urihttp://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/5911-
dc.description.abstractBiodiesel is a real alternative to replace fossil diesel oil derived from oil, it is produced from renewable sources such as vegetable oils, fats animals and even residual oils from frying. Brazil, for having a large extension territorial, presents a wide diversity of raw materials for the production of biodiesel, such as soy, sunflower, castor bean, corn, jatropha, cottonseed, canola, babassu, buriti, palm oil, macaúba and peanuts. Raw materials and processes of production depend on the region considered. In the Amazon region, other species such as andiroba, inajá, Brazil nuts and tucumã have potential for the production of biodiesel, some of which already have a consolidated market in the region for food and cosmetic purposes. The present work has as main objective carry out a bibliographical review on the Amazonian oilseeds, tucumã, palm oil, babassu and inajá. In the methodology, a narrative review of the literature was carried out, which has as a basis only some works or sources on the subject that are considered more important and are able to provide current and relevant data on the subject. Accordingly with the works analyzed among these species, the babassu presented a higher cost in production when compared to the production of biodiesel made from another raw material. O palm oil stood out with productivity that can be over 5,000 kg of oil/ hectare/year, when compared to other oilseeds, in addition to having a lower cost of production. Regarding inajá, further studies of the physical and chemical properties are needed to qualify the biodiesel produced from almonds. Tucumã stood out as the oilseed with potential for biodiesel production due to its high lipid content, however, it needs a plan for the sustainable use of this species.pt_BR
dc.description.resumoO biodiesel é uma alternativa real de substituição do óleo de diesel fóssil derivado do petróleo, ele é produzido a partir de fontes renováveis tais como óleos vegetais, gorduras animais e ainda óleos residuais de frituras. O Brasil, por possuir uma grande extensão territorial, apresenta uma ampla diversidade de matérias-primas para a produção de biodiesel, como soja, girassol, mamona, milho, pinhão-manso, caroço de algodão, canola, babaçu, buriti, dendê, macaúba e amendoim. As matérias-primas e os processos de produção dependem da região considerada. Na região amazônica, outras espécies como andiroba, inajá, castanha do Brasil e tucumã, apresentam potencial para a produção de biodiesel, sendo que algumas dessas já apresentam um mercado consolidado na região para fins alimentícios e cosméticos. O presente trabalho tem como objetivo principal realizar uma revisão bibliográfica sobre as oleaginosas amazônicas, tucumã, dendê, babaçu e inajá. Na metodologia realizou-se uma revisão narrativa da literatura, que tem como base apenas alguns trabalhos ou fontes sobre o assunto que são considerados mais importantes e são capazes de fornecer dados atuais e relevantes sobre o tema. De acordo com os trabalhos analisados dentre essas espécies, o babaçu apresentou um custo maior na produção quando comparado à produção de biodiesel feita de outra matéria-prima. O dendê se destacou com produtividade que pode ser superior a 5.000 kg de óleo/ hectare/ano, quando comparado com outras oleaginosas, além de possuir menor custo de produção. Em relação ao inajá são necessários mais estudos das propriedades físico químicas para qualificar o biodiesel produzido a partir das amêndoas. O tucumã destacou se como a oleaginosa com potencial para produção de biodiesel pelo alto teor de lipídeos, porém necessita de um plano de utilização sustentável desta espécie.pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentInstituto de Ciências Exatas e Tecnologia - ICETpt_BR
dc.relation.referencesALMEIDA, C. D. M. Mapeamento das Oleaginosas da Amazônia com Potencial para a Produção de Biodiesel. 2007. Dissertação (Mestrado em Química) - Instituto Militar de Engenharia, Rio de Janeiro, 2007. BARROSO, M. L; MARTINS, L. V. Produção e caracterização de biodiesel do óleo de tucumã. Universidade Federal do Amazonas- UFAM, Instituto Ciências Exatas e Tecnologia, 2012. BELTRÃO, N. E. de M.; OLIVEIRA, M. I. P. Oleaginosas Potenciais do Nordeste para a Produção de Biodiesel. EMBRAPA ALGODÃO, Campina Grande, PB, 2008. BRASIL. Ministério de Minas e Energia. Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis – ANP. Resolução Lei Nº 9.478 de 1997. Diário oficial da união. 20 de março de 1997. CARDOSO, S. T. et al. Uma Revisão da Utilização de Catalisadores Heterogêneos para a Produção de Biodiesel. Revista Curitiba, v. 4, n. 1, p.240-276, jan-fev, 2020. CARRAZZA, L. R.; ÁVILA, J. C. C.; SILVA, M. L. Manual Tecnológico de Aproveitamento Integral do Fruto do Babaçu. Brasília – DF. Instituto Sociedade, População e Natureza (ISPN). Brasil, 2012. CARVALHO, A. L. Aspectos da Biometria dos Cachos, Frutos e Sementes da Palmeira Najá (Maximiliana maripa (Aublet) Drude) na Região Leste do Estado do Acre. Revista Brasileira de Biociências, v. 5 (1), p. 228-230, 2011. COSTA, P. P. K. G. Catalisadores químicos utilizados na síntese de biodiesel. Brasília, DF: Embrapa Agroenergia, 2009. DELAI, M. J et al. Biodiesel: uma análise da produção no Brasil. ACTA IGUAZU, Cascavel, v.3, n.1, p. 109-123, 2014. ECKEY, E. W. Vegetable fats and oils. American Chemical Society Mongraph, serie 123, Nova Iorque: Reinhold Publishing Company, 1954. FEROLDI, M.; CREMONEZ, A. P.; ESTEVAM, A. Dendê: do cultivo da palma à produção de biodiesel. Revista Monografias Ambientais - REMOA v.13, n.5, p.3800- 3808, 2014. FILHO, C. G. P.; BUAINAIN, M. A.; BENATTI, S. S. G. A cadeia produtiva agroindustrial do biodiesel no Brasil: um estudo sobre sua estrutura e caracterização. DRd - Desenvolvimento Regional em debate, v. 9, p. 772-799, 29 out. 2019.27 GENTIL, M. R.; SERRA, V. C. J.; CASTRO, B. R. Resíduos Sólidos Orgânicos Provenientes da Extração de Oleaginosas para Biodiesel e Seus Potenciais de Uso. Revista Eletrônica do Curso de Geografia, Campus Jutaí – UFG, n.18, Jan-Jun/2012. BARRETO, J. F; GONZALES, A. W. Biodiesel e Óleo Vegetal In Natura. Brasília: Ministério de Minas e Energia, p.168, 2008. BEZERRA, V. S. O Inajá (Maximiliana maripa (Aubl.) Drude) como fonte alimentar e oleaginosa. Comunicado Técnico 129. EMBRAPA – Macapá, AP, Dez/2011. KOGA, K. E. et al. Biodiesel: Uma Relação Viável entre Ciência, Tecnologia, Meio Ambiente, Sociedade e Economia. 2006. Centro Educacional UNINOVE, Mestrado Administração de Empresas – São Paulo, SP, Brasil, 2006. LEBID, T.; HENKES, A. J. Óleo de Dendê na Produção de Biodiesel: Um Estudo de Caso das Vantagens e Desvantagens Econômica, Ecológica e Social da Cultura desta Oleaginosa para a Produção de Biodiesel. Revista de Gestão Sustentável e Ambiental, Florianópolis, v. 4, n. 1, p. 392- 415, abr./set.2015. LIMA, R. C. P. O Biodiesel e a Inclusão Social. Biblioteca Digital da Câmara dos Deputados, 2004. LEAL, S. A. Obtenção e caracterização de filmes a base de mesocarpo de babaçu e carboximetilcelulose para fins biotecnológicos. 2017. Tese (Doutorado em Biotecnologia) – Universidade Federal de Piauí, Teresina, 2017. LUZ, C. S. C.; MAINIER, B. F.; MONTEIRO, C. P. L. Comparação de Oleaginosas para a Produção de Biodiesel. Engevista, v. 17, n. 2, p. 232-239, Junho, 2015. MASUCHI, M. H et al. Quantificação de TBHQ (Terc Butil Hidroquinona) e avaliação da estabilidade oxidativa em óleos de girassol comerciais. Química Nova, v. 31, n. 5, p.1053-1057, 2008. MIRANDA, I. P. A. et al. Frutos de Palmeiras da Amazônia. Manaus: MCT & INPA, p.119, 2001. MOURA, C. V. R. et al. Caracterização Físico-Química de Óleos Vegetais de Oleaginosas Adaptáveis ao Nordeste Brasileiro com Potenciais para Produção de Biodiesel. Revista Virtual Química, v.11, n.3, p. 573-595, 2019. NASCIMENTO, M. U.; VASCONCELOS, S. C. A.; AZEVEDO, B. E. Otimização da Produção de Biodiesel a partir de óleo de coco babaçu com aquecimento por micro-ondas. Ecl. Química, São Paulo, v. 34 n. 4, 37-48, 2019. NASCIMENTO, L. C. K. A. Seleção de Lipase Microbiana para Aplicação em Reações de Hidrólise e de Esterificação do Óleo da Amêndoa de Inajá (Maximiliana Maripa (Aubl.) Drude) Visando Produção de Biodiesel. 2015. Tese (Doutorado em Biotecnologia) - Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2015. NOGUEIRA, L.A.H. et al. Agencia Nacional de Energia Elétrica 2007.28 NUNES, L. J.; ALVES, W. T. Produção de Biodiesel de Dendê nos Sistemas Isolados do Amazonas: Um meio para Geração de Desenvolvimento Socioeconômico para o Estado. Congresso Brasileiro de Mamona, 4 & Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas. João Pessoa, Campina grande: Embrapa Algodão, p. 173-177, 2010. OSAKI, M.; BATALHA, M. O. Produção de biodiesel e óleo vegetal no Brasil: Realidade e Desafio. Organizações Rurais & Agroindustriais, vol. 13, núm. 2, pp. 227-242, 2011. PARENTE, E. JR., BRANCO, P. T. C. “Análise Comparativa entre Etanol e Metanol Visando Utilização como Coadjuvante Químico na Produção de Biodiesel. ” Câmara dos Deputados – Videoconferência O Biodiesel e a Inclusão Social, 2003. PEREIRA, N. D. et al. Produção de Biodiesel a partir do Óleo extraído do Inajá (Maximiliana Maripa Drude). VII CONNEPI, Palmas, Tocantins, 2012. PESCE, C. Oleaginosas da Amazônia. Belém: Gráfica da Revista Veterinária, p.125, 1941. PNA. Plano Nacional de Agroenergia. 2006-2011/Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Secretaria de Produção e Agroenergia. Revista de Brasília, DF: Embrapa Informação Tecnológica, 2. Ed, p. 110, 2011. PUTTI, F. F; LUDWIG, R; RAVAZI, S. A. Análise da Viabilidade e Rentabilidade do Uso do Babaçu para a Produção do Biodiesel. VIII Fórum Ambiental da Alta Paulista, v. 8, n. 7, p. 127-142, 2012. RAMOS, E. Com 14 usinas, MT é o 2º maior produtor de biodiesel do país. Disponível em:<https://g1.globo.com/mt/mato-grosso/noticia/2019>Acesso em: 21 de Junho de 2021. RAMOS, L. P. et al. Biodiesel: Matérias-Primas, Tecnologias de Produção e propriedades Combustíveis. Revista Virtual Química, v. 9 n.1, 317-369,2017. REDA, S. Y. Estudo comparativo de óleos vegetais submetidos a estresse térmico. 2004. Dissertação de Mestrado, Universidade Estadual de Ponta Grossa, Brasil, 153p. ROCHA FILHO, G. N. A estabilidade de óleos vegetais. In: III Workshop de Química e Meio Ambiente. (Seminário). Belém, agosto, 2004. SALLET, L. C.; ALVIM, M. A. Biocombustíveis: uma análise da evolução do biodiesel no Brasil. Economia & Tecnologia - Ano 07, Vol. 25 - Abril/Junho, 2011. SHANLEY, P.; SERRA, M.; MEDINA, G. 2010. Frutíferas e plantas úteis na vida amazônica. Belém, PA: CIFOR: Embrapa Amazônia Oriental: Imazon, p. 315,2010. SILVA, F. A.; BORGES, M. F. M.; FERREIRA, M. A. Métodos para avaliação do grau de oxidação lipídica e da capacidade antioxidade. Química Nova, v. 22, n. 1, 94-103, 1999. SOUZA, V.H.A. et al. Análise do Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel (PNPB): Resultados e Críticas. Ver. de Administração Geral, v.1, n.1, p.23 – 41, 2015.29 STACHIW, R. et al. Potencial de produção de biodiesel com espécies oleaginosas nativas de Rondônia, Brasil. Acta Amazônica, v. 46, n.1, p. 81 – 90, 2016. VIEIRA, J. S. C. et al. Aprimoramento das Propriedades Físico-Químicas do Óleo de Babaçu visando a Fabricação de Sabonetes. Congresso Brasileiro de Química, João Pessoa – PB, 2019. XAVIER, A. L. Influência do perfil em ácidos graxos nas propriedades de biodieseis de óleos usados na fritura e de suas blendas com biodiesel de Attalea maripa. 2013. Dissertação de (Mestrado em Química) – Universidade Federal de Roraima, Boa Vista, 2013. ZANINETTI, A. R. Caracterização do Óleo de Frutos de Tucumã (Astrocaryum aculeatum) Para Produção de Biodiesel. 2009. Dissertação (Mestrado em Agronomia) - Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias – Unesp, Campus de Jaboticabal, São Paulo, 2009. ZUNIGA, G. D. A. et al. Situação Atual e Perspectivas do Biodiesel no Estado do Tocantins. DESAFIOS: Revista Interdisciplinar da Universidade Federal do Tocantins, v. 1, n. 01, p. 263-278, jul/dez, 2014.pt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectBabaçupt_BR
dc.subjectDendêpt_BR
dc.subjectInajápt_BR
dc.subjectTucumãpt_BR
dc.subject.cnpqCIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA: QUÍMICApt_BR
dc.titleOleaginosas amazônicas usadas na produção de biodieselpt_BR
dc.typeTrabalho de Conclusão de Cursopt_BR
dc.date.event2021-07-08-
dc.publisher.localpubItacoatiara/AMpt_BR
dc.subject.controladoBiodieselpt_BR
dc.subject.controladoÓleos vegetaispt_BR
dc.subject.controladoOleaginosas amazônicaspt_BR
dc.subject.controladoEnergia renovávelpt_BR
dc.contributor.advisor1orcidhttps://orcid.org/0000-0001-6750-9862pt_BR
dc.contributor.advisor1orcidhttps://orcid.org/0000-0001-6750-9862pt_BR
dc.contributor.referee1orcidhttps://orcid.org/0000-0002-9458-8305pt_BR
dc.contributor.referee1orcidhttps://orcid.org/0000-0002-9458-8305pt_BR
dc.contributor.referee2orcidhttps://orcid.org/0000-0001-7362-5050pt_BR
dc.publisher.courseQuímica Industrial - Bacharelado - Itacoatiarapt_BR
Appears in Collections:Trabalho de Conclusão de Curso - Graduação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC_DianaAguiar.pdfQuímica Industrial - Bacharelado - Itacoatiara1,28 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.