Please use this identifier to cite or link to this item: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/5912
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisor1Cardoso, Arthur Antunes de Souza-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/2687437688573682pt_BR
dc.contributor.referee1Corrêa, Geone Maia-
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/7274488066461409pt_BR
dc.contributor.referee2Alves, Gleica Soyan Barbosa Alves-
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/3854498836813491pt_BR
dc.creatorSilva, Everton Martins da-
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/1928459466993410pt_BR
dc.date.accessioned2021-07-20T14:39:39Z-
dc.date.available2021-07-20-
dc.date.available2021-07-20T14:39:39Z-
dc.identifier.urihttp://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/5912-
dc.description.abstractThe araçá-boi (Eugenia stipitata ssp. Sororia Mcvaugh), is a native Amazonian species of great importance to the local economy. It has a rounded shape weighing from 30 to 800 grams. fresh consumption is limited because it is an acidic fruit. Its pulp has great potential in the agroindustry for the manufacture of concentrated juice, ice cream, sweets, jellies, liqueurs, etc. The main objective of the present work was the manufacture of araçá-boi liqueur, from that the testing of different dosages of araçá-boi pulp/alcoholic source, the evaluation of the maceration time, the quantification of different dosages of sugar and the acceptability of araçá-boi liqueurs tasted by people over 18 years of age. This research was carried out in the Food Technology laboratory at the Institute of Exact Sciences and Technology - ICET of the Federal University of Amazonas - UFAM, in which the liqueurs were divided into four formulations with different amounts of pulps/L of vodka at different concentrations of the fruit , all formulations underwent a 15-day maceration time and from this, the pH was investigated, sensory analysis, and submitted to analysis of variance (ANOVA) to compare the magnitude of the liqueur formulations using the SISVAR 5.8 and the comparison of means in which the Tukey test was used, at the level of 5% probability. The best results obtained from the experiment were the liqueurs that compose the formulations of 250g of sugar/L of water and 30g of sugar/L of water, in which samples 5, 15 and 16 were those containing 250g of sugar/L of water and sample 1 was 30g sugar/L water. So the attributes taste and purchase intention were the determining factors for choosing the best liquor treatment, where samples 1, 5, 15 and 16 are recommended and samples 12 and 13 are not recommended.pt_BR
dc.description.resumoO araçá-boi (Eugenia stipitata ssp. Sororia Mcvaugh), é uma fruta de espécie nativa da Amazônia e de grande importância para a economia local, apresenta formato arredondado pesando de 30 a 800 gramas, quando maduro possui a cor amarelo ouro, e seu consumo in natura é limitado por se tratar de uma fruta ácida. Sua polpa apresenta grande potencial na agroindústria para a fabricação de suco concentrado, sorvetes, doces, geleias, licores, etc. O presente trabalho teve como objetivo principal a fabricação do licor de araçá-boi, a partir disso a testagem de diferentes dosagens da polpa de araçá-boi/fonte alcoólica, a avaliação do tempo de maceração, a quantificação de diferentes dosagens de açúcar e a aceitabilidade dos licores de araçá-boi degustada por pessoas maiores de 18 anos. Esta pesquisa foi realizada no laboratório de Tecnologia de Alimentos no Instituto de Ciências Exatas e Tecnologia – ICET da Universidade Federal do Amazonas – UFAM, em que os licores foram divididos em quatro formulações com diferentes quantidades de polpas/L de vodka em diferentes concentrações da fruta, todas as formulações passaram por tempo de maceração de 15 dias e partir disso foi realizado a averiguação do pH, análise sensorial, e submetidos à análise de variância (ANOVA) para comparar a magnitude das formulações dos licores com a utilização do software SISVAR 5.8 e a comparação das médias no qual foi utilizado o teste de Tukey, ao nível de 5% de probabilidade. Os melhores resultados obtidos do experimento foram os licores quem compõem as formulações de 250g de açúcar/L de água e 30g de açúcar/L de água, no qual as amostras 5, 15 e 16 foram as que continham 250g de açúcar/L de água e a amostra 1 foi de 30g de açúcar/L de água. Então os atributos sabor e intenção de compra foram os fatores determinantes para a escolha do melhor tratamento do licor, onde as amostras 1, 5, 15 e 16 são recomendadas e as amostras 12 e 13 não recomendadas.pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentInstituto de Ciências Exatas e Tecnologia - ICETpt_BR
dc.relation.referencesABRABE. Associação Brasileira de Bebidas. Disponível em: <http://www.abrabe.org.br/cachaça>. Acesso em: 16 jun. 2021 as 18h. ALMEIDA, J. C.. Elaboração, caracterização físico-química e aceitabilidade de licor de goiaba. Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Goiano. Curso de Tecnologia em Alimentos. Urutaí – GO, 2019 ANDRADE, J. S.; RIBEIRO, F. C. F; ARAGÃO, C. G; FERREIRA, S. A do N. Adequação tecnológica de frutos da Amazônia: licor de araçá-boi (eugenia stiptata) mcvaugh. Acta amazônica, 27(4): 273-278. 1997. AQUARONE, E.; LIMA, U.A.; BORZANI, W. Alimentos e bebidas produzidos por fermentação. São Paulo: Edard Blucher, 1993. v.5, 227 p. BARROS, J. C.; SANTOS, P. A.; ISEPON, J. S.; SILVA, J. W.; SILVA, M. A. P. Obtenção e avaliação de licor de leite a partir de diferentes fontes alcoólicas. Global Science and Technology, v.1, p.27-33, 2008. BEARDSELL, D. V; O´BRIEN, S.P; WILLIANS, E. G; KNOX, R. B; CALDER, D. M. Reproductive biology of Australian Myrtaceae. Australian Journal of Botany. V. 41, 1993. BEZERRA, J. E. F; LEDERMAN, I. E; SILVA JUNIOR, J. F; PROENÇA, C. E. B. Frutas da região Centro-Oeste do Brasil. Brasilia, DF: Embrapa Recursos genéticos e biotecnologia, 2006, p.42-62. BRAGANÇA, MARIA DA GRAÇA LIMA. Licor: processamento artesanal. Belo Horizonte: EMATER-MG, 2013. 15 p. BRASIL. Presidência da República. Lei n 986, de 21 de out de 1969. Institui Normas Básicas sobre Alimentos. Brasília, DF, 1969. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 21 out. 1969. BRASIL. Presidência da República. Decreto N° 73.267, 6 de dezembro de 1973. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. BRASIL. Presidência da República. Instrução Normativa MAPA n° 55 de 31 de outubro de 2008. Diário Oficial da República Federativa do Brasil BRASIL. Presidência da República. Decreto n° 9.902 de 8 de julho de 2019. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília. 2019 BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Decreto n. 6871, de 4 de junho de 2009. Regulamenta a lei n. 8.918 de 14 de julho de 1994. Dispõe sobre a padronização, a classificação, o registro, a inspeção, a produção e a fiscalização de bebidas. Diário Oficial da União, Brasília: MAPA 2009. p.10661. BRASIL. Presidência da República – Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento. Instrução Normativa n 17. Aprova os requisitos e os procedimentos administrativos para registro de estabelecimento e de produto, elaboração de produto em unidade industrial e em estabelecimento de terceiro e contratação de unidade volante de envasilhamento de vinho. Brasília, DF, 2015. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 17 dez. 2015. CAMARGO, Guilherme Holub. Estudo de parâmetros de maceração para obtenção de licor de abacaxi. Universidade Tecnológica Federal Do Paraná. Trabalho De Conclusão De Curso. Pato Branco, 2015. CARVALHO, Renato Ferreira de. Produção de licores. Dossiê técnico. Rede de Tecnologia da Bahia – RETEC/BA - abril/2007 CESAR, E. A; CRUZ, J. G da; LEONEL, J. V. M; CÉSAR, M. E. D; BARRETO, H. C; FILHO, P. L. Tecnologia de produção de licores com combinação de frutas no Sertão Paraibano. Rev. de Agroec. no Semiárido (Sousa – PB - Brasil), ISSN 2595-0045 v. 3, n.1, p.1-8, Jan-jul, 2019. CHAVES, E. B. Diversidade de espécies de moscas-das-frutas (anastrepha spp.) na cultura do araçá-boi (eugenia stipitata mcvaugh) em duas áreas no município de Manaus-Am. Instituto Nacional De Pesquisas Da Amazônia – INPA. Programa de PósGraduação Em Agricultura No Trópico Úmido – PPG- ATU. Manaus - Amazonas, Outubro, 2016. CHITARRA, M. I. F.; CHITARRA, A. B. Pós-colheita de frutos e hortaliças. Escola Superior de Agricultura de Lavras. 2ª edição, 2005. COSTA, L. Ácido málico. Viafarma, revisão n°00, 20 de dezembro de 2011. DODO, Giani Calanca. Composição centesimal das sementes de araçá-boi (eugenia stipitata mc vaugh). Faculdade de Educação e Meio Ambiente – FAEMA – Arquimedes – RO, 2016 FALCÃO, M. A.; CHAVES, F. W. B; FERREIRA, S. A. N; CLEMENT, C. R; BARROS, M. J. B.; BRITO, J. M. C de; SANTOS, T. C. T dos. Aspectos Fenológicos e Ecológicos do "Araçá-boi" (Eugenia stipitata MCVAUGH) na Amazônia Central. I. Plantas Juvenis. Fundação Universidade do Amazonas – FUA. Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia - INPA, Manaus, AM, Brasil. ACTA AMAZÔNICA, 18(3-4): 27-38, 1988. FERNANDES, C. M. D. Desenvolvimento e caracterização sensorial de licores de laranja e tangerina. Universidade Federal Rural de Pernambuco - Departamento de Tecnologia Rural - Bacharelado em Gastronomia - RECIFE-PE, maio, 2018. FRAZON, R. C.; CAMPOS, L. Z. O.; PROENÇA, C. E. B.; SILVA, J. C. S. Araçás do Genero Psidium, principais espécies, GUIZILINI, L. A. Atividade antioxidante de gabiroba e aplicação da polpa como ingrediente em sorvete. 2010. 88 f. Dissertação (Mestrado) - Ciência de Alimentos, Centro de Ciências Agrárias, Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2010. GOMES, C. A. O; PINTO, G. S; SILVA, C. S. Manual de informações técnicas sobre processamento artesanal de licores. Rio de Janeiro. EMBRAPA - CTAA. 1998, 19 p. LANDRUM, L. R; KAWASAKI, M. L. The genera of Myrtaceae in Brazil: An illustrated synoptic and identification keys. Brittonia, New York. V, 49, 1997. LIMA, M. A. C.; ALVES, R. E.; FILGUEIRAS, H. A. C. Mudanças relacionadas ao amaciamento da graviola durante a maturação pós-colheita. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.41, p.1707-1713, 2006. MANICA, I. Frutas nativas, silvestre e exóticas 1: técnicas de produção e mercado: abiu, amora-preta, araçá, bacuri, biriba, carambola, cereja-do-rio-grande, jabuticaba. Porto Alegre: Cinco Continentes, 2000. 327p MANICA, I. Frutas nativas, silvestre e exóticas 2: técnicas de produção e mercado: feijoa, figo-da-índia, fruta-pão, jaca, lichia, mangaba. Porto Alegre: Cinco Continentes, 2002. 541p MARTINS, E. M. S; CALDAS, M. P; SILVA, W. J. P; FREITAS, M. M. S; LIMA, F. M; FERREIRA, A. C. S; TEXEIRA, M. A; WANZELER, R. C; SILVA, N.S; ARAÚJO, C. S. Elaboração de licor de araçá-pêra com quatro tratamentos distintos. 56°Congresso Brasileiro de Quimica - CBQ. Belem, Pará. 07 a 11 de novembro de 2016 MENDES, A. M. S.; MENDONÇA, M. S. Tratamentos pré-germinativos em sementes de araçá-boi (eugenia stipitata). Rev. Bras. Frutic, Jaboticabal - SP, v. 34, n. 3, p. 921-929, setembro, 2012. MERWE, M. M; WYK, A. E; BOTHA, A. M. Molecular phylogenetic analysis of Eugenia L (Myrtaceae), with emphasis on southern Africa taxa. Plant Systematic and Evolution, v. 251, 2005; MITTELSTAEDT, L. C. S. Receitas de licores. Escritório Municipal da EMATER – Poço das Antas – outubro 2001 MOURA, R. L.; FIGUEIRÊDO, R. M. F.; QUEIROZ, A. J. M. Processamento e caracterização físico-química de néctares goiaba-tomate. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, Pombal, v. 9, n. 3, p. 69-75, 2014. MOURA, R. C. D. Desenvolvimento tecnológico de bebida alcoólica fermentada a partir do araçá-boi (Eugenia stipitata Mc Vaugh). Universidade Federal do Amazonas. Faculdade de Ciências Farmacêuticas. Programa de Pós-Graduação em Ciência de Alimentos – Manaus, 2011. OKIGBO, R. N.; OBIRE, O. Mycoflora and production of wine from fruits of soursop (Annona Muricata L.). International Journal of Wine Research, v.1, p.1-9, 2009. OLIVEIRA, E. N. A; SANTOS, D. C. Processamento e avaliação da qualidade de licor de açaí (Euterpe oleracea Mart.). Rev Inst Adolfo Lutz. São Paulo, 2011; 70(4):534-41. OLIVEIRA, M. P. Desenvolvimento do licor de hibiscos. Universidade de Uberaba. Engenharia Química. Término de Conclusão de Curso. UBERABA-MG, 16-jun, 2017. PENHA, E. M. Licor de frutas. Embrapa Agroindústria de Alimentos. – Brasília, DF: Embrapa. Informação Tecnológica, 2006. PENHA, E. M. et al. Utilização do retentado da ultrafiltração do suco de acerola na elaboração de licor.B. CEPPA, Curitiba, v. 19 n. 2, p. 267-276, 2001.REIS, Barbara Cristina Medanha; PINTO, Rafael Lucas Machado; SOARES, Christianne Lacerda. Aplicação da análise estatística via teste tukey e análise de variância para a aplicação dos parâmetros de qualidade de corte em um processo de fabricação. XXXVI Encontro Nacional de Engenharia de Produção. João Pessoa/PB, Brasil, de 03 a 06 de novembro de 2016. RIZZON, L. A.; SGANZERLA, V. M. A. Ácido tartárico e málico no mosto de uva em Bento Gonçalves – RS. Ciência Rural, Santa Maria, v.37, n.3, p.911-914, mai-jun, 2007. RODRIGUES, V. N; SANTOS, D. F.; SANTOS, G. H. F.; BITENCOURT, T. B.; PINTO, V. Z. Elaboração e caracterização sensorial de licor de abacaxi. XXV Congresso Brasileiro de Ciência e Tecnologia de Alimentos. FAURGS – GRAMADOS/RS, 2016. ROHLING, M. O conceito de lei, lei legítima e desobediência civil na teoria da justiça como equidade de John Rals. Universidade Católica de Petrópolis. Synesis, v.6. n.2, p. 83-106, Rio de Janeiro, Brasil, jul/dez 2014. SANTOS, M. S. Impacto do processamento sobre as características físico-químicas, reológicas e funcionais de frutos da gabirobeira (campomanesia xanthocarpa berg). 2011. 148 f. Tese (Doutorado) - Programa de Pós-graduação em Tecnologia de Alimentos, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2011. SANTOS, V. A; RAMOS, J. D; TOSTES, N. V.; SILVA, F. O. R; ALMEIDA, L. G. F. Caracterização física e química de frutos de araçá-boi (eugenia stipitata mcvaugh) em lavras – MG. Enciclopédia Biosfera, Centro Científico Conhecer - Goiânia, V.14 N.26; P. 168, 2017. SEREJO, J. A. S.; DANTAS, J. L. L.; SAMPAIO, C. V.; COELHO, Y. S. Fruticultura Tropical espécies regionais e exóticas. Embrapa Informação Tecnológica. Brasilia, DF, 2009. SCOPEL, E; CONTI, P, P; DALMASCHIO, C, J; DA SILVEIRA, V, C. Extração de ácido cítrico do limão e sua utilização para a remoção da dureza da água: um método alternativo para aulas de química. Rev. Virtual Quim, 5 de junho de 2017. SCHMIDT, L. Produção de licores à base de cachaça e identificação do seu perfil sensorial. Universidade Federal do Rio Grande. Escola de Química e Alimentos. Engenharia Agroindustrial. Santo Antônio da Patrulha, 2014. SILVA, F. A. M; ASSAD, E. D; STEINKE, E. T; MULLER, A.G. Clima do Bioma Cerrado. Agricultura Tropical: quatro décadas de inovações tecnológicas, institucionais e políticas. Vol. 2. Utilização sustentável dos recursos naturais. Brasília, DF: Embrapa Informação Tecnológica, 2008. SOARES, E. C. Caracterização de aditivos para secagem de araça-boi (eugenia stipitata mc vaugh) em leito de espuma. Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – UESB. ProReitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (Dissertação de Mestrado). Programa de pós-graduação em Engenharia de Alimentos. Itapetinga-Bahia – Brasil. Março, 2009. SORIA, M I. Avaliação do microencapsulamento por atomização por bioatividade do araçá-boi (eugenia stipitata). Dissertação (Mestrado). Universidade Federal do Rio Grande – FURG. Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Ciência de Alimentos, Rio Grande – RS, 2017, 160p. SOUZA, R. S.; SILVA, S. S.; LOSS, R. A.; SOUZA, R. S.; GUEDES, S. F.. Avaliação físicoquímica do fruto araçá-boi (Eugenia stipitata macvaugh) cultivado na mesorregião do sudoeste mato-grossense. Destaques Acadêmicos, Lajeado, v. 10, n. 3, p. 157-169, 2018. SOUSA, M. B.. Elaboração de um licor a base de acerola (malpighia emarginata) com mel. Trabalho de conclusão de curso. Universidade Federal de Sergipe. São Cristóvão – agosto, 2015 TEIXEIRA, L. J. Q.; SIMÕES, L. S.; ROCHA, C. T. da; SARAIVA, S. H.; JUNQUEIRA, M. S. Tecnologia, composição e processamento de licores. Enciclopédia Biosfera, Centro Científico Conhecer - Goiânia, vol.7, N.12; 2011 Pág. 1. TEIXEIRA, L. J. Q.; ROCHA, C. T. da; JUNQUEIRA, M. da S.; SARAIVA, S. H. Determinação da cinética de extração alcoólica no processamento de licor de café. Enciclopédia Biosfera, v.6, p.1-9. 2010. TEIXEIRA, L. J. Q. et al. Avaliação tecnológica da extração alcoólica no processamento de licor de banana. Boletim CEPPA, Curitiba, v. 23 n. 2, p. 329-346, 2005. WILSON, G.W; O´BRIEN, M. M; GADEK, P. A; QUINN, C. J. Myrtaceae revisited: a reassessment of intrafamiliar groups. American Journal of Botany. V. 88. N. 11, 2001.pt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectPadronizaçãopt_BR
dc.subjectAceitabilidadept_BR
dc.subjectLicorpt_BR
dc.subjectAraçá-boi (Eugenia stipitata Mac Vaugh)pt_BR
dc.subject.cnpqCIÊNCIAS EXATAS E DA TERRApt_BR
dc.titlePadronização e aceitabilidade do licor de araçá-boi (Eugenia stipitata Mac Vaugh)pt_BR
dc.typeTrabalho de Conclusão de Cursopt_BR
dc.creator.affiliationUniversidade Federal do Amazonaspt_BR
dc.date.event2021-07-07-
dc.publisher.localpubItacoatiara/AMpt_BR
dc.subject.controladoPotencial comercialpt_BR
dc.subject.controladoLicorespt_BR
dc.subject.controladoFrutos da Amazôniapt_BR
dc.subject.controladoMaceraçãopt_BR
dc.contributor.advisor1orcidhttps://orcid.org/0000-0001-8057-815Xpt_BR
dc.contributor.advisor1orcidhttps://orcid.org/0000-0001-8057-815Xpt_BR
dc.contributor.referee1orcidhttps://orcid.org/0000-0002-9458-8305pt_BR
dc.contributor.referee1orcidhttps://orcid.org/0000-0002-9458-8305pt_BR
dc.contributor.referee2orcidhttps://orcid.org/0000-0003-1330-4516pt_BR
dc.creator.affiliation-initUFAMpt_BR
dc.publisher.courseQuímica Industrial - Bacharelado - Itacoatiarapt_BR
Appears in Collections:Trabalho de Conclusão de Curso - Graduação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC_EvertonSilva.pdfQuímica Industrial - Bacharelado - Itacoatiara2,04 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.