Please use this identifier to cite or link to this item: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/1432
metadata.dc.type: Relatório de Pesquisa
Title: Seleção de Modelos de Propagação Baseados em Ray-Tracing Visando o Suporte a Simulação de Redes em Malha sem Fio
metadata.dc.creator: Kleverson Santana da Paixão
metadata.dc.contributor.advisor1: Edjair de Souza Mota
metadata.dc.description.resumo: Redes em malha sem fio (WMN Wireless Mesh Networks) vêm despertando o interesse da comunidade científica por se tratar de uma alternativa às redes cabeadas . são redes com topologia dinâmica, variável e de crescimento orgânico, constituídas por nós cuja comunicação, no nível físico, é feita através de variantes dos padrões IEEE 802.11 e 802.16, e cujo roteamento é dinâmico. Para que esta tecnologia se torne de uso comum, faz-se necessário a avaliação do desempenho de seus protocolos e, nesse contexto, simulação estocástica é a ferramenta ideal de investigação quando ainda não dispomos de uma rede mesh real para efetuarmos medições. Para modelar uma rede mesh urbana com fidelidade é preciso empregar um modelo de propagação que considere as obstruções às construções. Costuma ser uma prática quase que geral, adotar modelos de propagação simplistas por dois motivos: (1) já são encontrados em ferramentas de simulação de uso popular; (2) modelos mais realistas são mais complexos, exigindo maior esforço computacional do simulador. Modelos mais simples não consideram questões chaves e vitais para o bom entendimento do desempenho , tal como a variabilidade no tempo e no espaço dos canais sem fio. Conclusões baseadas em modelos simples de propagação podem conduzir a conclusões otimistas demais. O modelo de propagação determina as características do canal, que são utilizadas pela camada física para determinar a probabilidade de erro na transmissão. Os modelos de propagação classificados como ray tracing vêm sendo apontados como os mais realísticos. Pesquisas mais recentes têm procurado desenvolvê-los para modelar enlaces de redes em malha sem fio com maior fidelidade. Por outro lado, verificou-se que a simulação envolvendo tais modelos demandam uma intensa atividade computacional. Isso deve-se ao fato de que esses modelos utilizam representações gráficas do cenário do mundo real e simulam o comportamento do sinal eletromagnético em tal ambiente, ao contrário dos modelos estocásticos, que abstraem a complexidade dos cenários simulados por meio de aproximações via distribuições de probabilidades selecionadas e ajustadas empiricamente ou por meio de tabelas de referência. Faz-se necessário, portanto, disponibilizar para grupos de pesquisa em redes, um ambiente de simulação em redes em malha sem fio com uma implementação eficiente de um modelo de propagação baseado em ray-tracing concomitantemente com uma solução que reduza o esforço computacional para os experimentos de simulação.
Abstract: 
Keywords: Redes mesh
simulação
modelos de propagação
metadata.dc.subject.cnpq: Ciências Exatas e da Terra: Ciencia da Computacao
metadata.dc.language: pt_BR
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Amazonas
metadata.dc.publisher.initials: UFAM
metadata.dc.publisher.department: Ciências da Computacao
Instituto de Ciências Exatas
metadata.dc.publisher.program: Programa PIBIC 2008
metadata.dc.rights: Acesso Restrito
URI: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/1432
Issue Date: 31-Jul-2009
Appears in Collections:Relatórios finais de Iniciação Científica

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.