Please use this identifier to cite or link to this item: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/2015
metadata.dc.type: Relatório de Pesquisa
Title: Classificação de sementes de espécies florestais nativas da Amazônia quanto a capacidade de armazenamento.
metadata.dc.creator: Andressa de Oliveira Lopes
metadata.dc.contributor.advisor1: Manuel de Jesus Vieira Lima Junior
metadata.dc.description.resumo: A necessidade de conservação das florestas tropicais e o fortalecimento da política ambiental promoveram um aumento de demanda de sementes de espécies nativas, que constituem insumo básico nos programas de recuperação de conservação de ecossistemas. O armazenamento de sementes permite a disponibilidade das mesmas aos programas de reflorestamento e pesquisas sobre tecnologia e fisiologia de sementes (Carvalho, et al., 2006). Todavia, segundo Hong & Ellis (1996), o sucesso do armazenamento depende do conhecimento prévio do comportamento fisiológico no armazenamento, já que sementes de diferentes espécies exigem condições especiais para sua conservação. Diante da crescente demanda de sementes de espécies nativas, pelo setor florestal, para atender aos programas de conservação e produção e também o conhecimento escasso sobre a classificação das sementes de árvores nativas da região Amazônica (Varela et al., 1988; Ferraz, 1991; Gonçalves et al., 2004). O presente trabalho visa desta forma aumentar o conhecimento básico para a propagação de árvores tropicais nativas. Imediatamente após a extração dos frutos será determinado o teor de água das sementes com 4 repetições de 0,4g sementes. As quais serão colocadas em recipientes de alumínio, pesadas na balança de precisão 0,001g para obtenção da massa fresca e em seguida submetidas à secagem em estufa sob temperatura de 103±2°C, conforme as Regras para Análise de Sementes (Brasil, 1996), a pesagem será repetida após 17 horas para obtenção da massa seca. O grau de umidade será calculado em percentagem com base na massa fresca das sementes, a partir da equação: Teor de umidade = [(massa fresca-massa seca/massa fresca) x 100]. A viabilidade das sementes será determinada utilizando-se o teste de germinação antes e após a secagem. Os parâmetros de germinação inicial serão determinados com 4 repetições de 25 sementes, no laboratório de sementes II, localizado na Universidade Federal do Amazonas. Os testes serão finalizados quando ocorrer à estabilização da germinação. As medições biométricas serão obtidos de 100 frutos e 100 sementes. Os seguintes dados serão levantados: peso da matéria fresca, a pesagem será realizada na balança analítica de precisão 0,001g e as dimensões de comprimento, largura e espessura que serão obtidas com paquímetro digital.
Abstract: 
Keywords: tolerância ao dessecamento
recalcitrante
ortodoxa.
metadata.dc.subject.cnpq: Ciências Agrárias: Sementes Florestais
metadata.dc.language: pt_BR
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Amazonas
metadata.dc.publisher.initials: UFAM
metadata.dc.publisher.department: Ciências Florestais
Faculdade de Ciências Agrárias
metadata.dc.publisher.program: PROGRAMA PIBIC 2010
metadata.dc.rights: Acesso Restrito
URI: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/2015
Issue Date: 1-Jul-2011
Appears in Collections:Relatórios finais de Iniciação Científica

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.