Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/3804
Tipo de documento: Relatório de Pesquisa
Título: Estudo da composição química de três espécies de Eugenia (Myrtaceae) empregando Espectrometria de Massas com auxílio de ferramentas quimiométricas
metadata.dc.creator: Elizanne Porto de Sousa Justo
metadata.dc.contributor.advisor1: Marcos Batista Machado
Resumo: A família Myrtaceae constitui uma das maiores famílias de angiospermas compreendendo cerca de 150 gêneros com 3.600 espécies, cuja distribuição é predominantemente pantropical e subtropical. No Brasil, estima-se a existência de 1.000 espécies pertencentes a 26 gêneros nativos e nove introduzidos, constituindo uma das maiores famílias da flora brasileira. Estudos fitoquímicos envolvendo espécies pertencentes a essa família revelam uma composição rica em sesquiterpenos e flavonoides para diversas espécies pertencentes a diferentes gêneros dessa família. O isolamento e a determinação estrutural desses constituintes químicos revelam-se importantes, pois colaboram na descoberta de compostos bioativos e na quimiotaxônomica dessas espécies. Na Reserva Florestal Adolpho Ducke (RFAD) em Manaus AM, uma amostra representativa da floresta Amazônica de terra-firme, foram identificadas 56 espécies de Myrtaceae pertencentes a sete gêneros, dentre estes gêneros, destaca-se a Eugenia, cujos resultados de estudos envolvendo diversas espécies desse gênero revelam uma composição rica em flavonoides, fenólicos glicosilados, antocianinas, sesquiterpenos e triterpenos. Esses metabólitos foram isolados por métodos cromatográficos clássicos (cromatografia em coluna) e modernos (Cromatografia Líquida de Alta Eficiência). Portanto, o isolamento e a determinação estrutural de constituintes químicos de Myrtaceae, especialmente neste projeto os provenientes de espécies do gênero Eugenia, corroboram a descoberta de compostos bioativos e o uso medicinal dessas espécies, bem como auxiliam na identificação taxonômica por meio de caracteres químicos. Dentre as espécies em estudo pelo NEQUIMA (Núcleo de Estudos Químicos em Myrtaceae da Amazônia), destaca-se Eugenia citrifolia e E. aff. citrifolia, afins do ponto de vista botânico. A partir dos estudos químicos de diferentes extratos assistidos por ferramentas quimiométricas dessas espécies foi possível construir um modelo de similaridade química qualitativo, utilizando um método rápido, barato e reprodutível que possibilita a comparação entre essas espécies, o qual foi inicialmente desenvolvido entre 2012, e concluído pela proponente em 2013, cujos resultados evidenciam perfis químicos semelhantes, porém distinguíveis em nível de gênero e tipo de extrato. Assim sendo, espera-se-á que o modelo empregado nessas espécies seja eficaz não somente na diferenciação entre as composições químicas das espécies selecionadas nesta proposta (Eugenia protenta, E. cf. ramiflora e E. cf. longiracemosa), mas também capaz de agrupá-las por semelhança metabolômica. Para isso, faz-se necessário à renovação desse projeto, a fim de assegurar a conclusão da obtenção de todos os 252 micro-extratos, bem como viabilizar a identificação, por espectrometria de massas, dos principais constituintes químicos de maior relevância neste modelo.
Resumo em outro idioma: 
Palavras-chave: Eugenia
Espectrometria de Massas
Quimiometria
Área de conhecimento - CNPQ: Ciências Exatas e da Terra: Quimica dos Produtos Naturais
Idioma: pt_BR
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Editor: Universidade Federal do Amazonas
metadata.dc.publisher.initials: UFAM
metadata.dc.publisher.department: Química
Instituto de Ciências Exatas
metadata.dc.publisher.program: PROGRAMA PIBIC 2013
Tipo de acesso: Acesso Restrito
URI: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/3804
Data do documento: 31-jul-2014
Aparece nas coleções:Relatórios finais de Iniciação Científica

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.