Please use this identifier to cite or link to this item: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/4256
metadata.dc.type: Relatório de Pesquisa
Title: Padrão hidrogeomorfológico do canal do Rio Negro no Arquipélago das Anavilhanas
metadata.dc.creator: Jessé Burlamaque Maciel
metadata.dc.contributor.advisor1: Naziano Pantoja Filizola Junior
metadata.dc.description.resumo: A Região Hidrográfica Amazônica representa cerca de 40% do território brasileiro e possui mais de 60% de toda a disponibilidade hídrica do País. Entrecortada por rios de distintas dimensões, tanto em extensão, largura, quanto em volume de água, esta Região envolve uma densa rede de drenagem, formando a maior bacia hidrográfica do globo. Seus rios oferecem regimes variados e por vezes, dadas às posições geográficas de seus cursos, têm regimes diferentes e características climáticas contrastantes. Nesta bacia está o Rio Negro, um dos da região, sendo que na sua foz se junta com o Rio Solimões para formar o Rio Amazonas. O Rio Negro nasce sob a denominação de Rio Chamusiqueni na Colômbia, em cotas aproximadas de 1660 mm, mudando, em seguida para Rio Guainia e, finalmente, depois de receber as águas do Canal de Cassiquiare (Defluência com a Bacia do Rio Orinoco), de Rio Negro. Mantém, em geral, a direção sudeste até desaguar no Rio Solimões, à altura da cidade de Manaus. Estudos recentes mostram que o rio Negro corre em uma impressionante zona de falha normal, que se estende por cerca de 70 km em linha reta, e controla ambas as margens. Essa estrutura geológica forma áreas em depressão, que são locais propícios à sedimentação atual, muito dependentes do regime hidrológico. Neste contexto tem-se o Arquipélago das Anavilhanas, resultante da interrelação entre processos de sedimentação e fenômenos tectônicos. De outra forma, Franzinelli e Igreja (2002) afirmam que este fenômeno neotectônico influenciou a origem do Arquipélago. Segundo os autores estas ilhas representam uma série de canais anastomosados, com ilhas alongadas e siltosas e barras em um canal argilosos. O Arquipélago Fluvial das Anavilhanas, conforme Latrubesse e Franzinelli (2005) representa o produto de deposição holocênica (<0,01M.a.). Durante o período de águas altas, estas ilhas são completamente inundadas, mas na época da águas baixas, é possível observar que os bancos de areia em algumas ilhas são muito abruptos. O Arquipélago ainda representa um desafio no que concerne ao estudo da hidrogeomorfologia (hidrologia, climatologia e geomorfologia) fator motivador do presente projeto, uma vez que não se sabe ainda como o clima e a hidrologia influenciam na geomorfologia daquela porção do canal fluvial e vice-versa. O estudo ora proposto, será desenvolvido no quadro do Projeto Iniciativa de Hidrologia espacial na Amazônia (IHESA) da Rede de Hidrologia Amazônica (RHIA), financiado pela FINEP/CT-HIDRO. Neste contexto o autor da proposta será responsável por compilar a bibliografia e analisar dados de fluviometria e pluviometria da região do Arquipélago Fluvial das Anavilhanas.
Keywords: Hidrologia
Geomorfologia fluvial
Climatologia
metadata.dc.subject.cnpq: Ciências Humanas: Geografia
metadata.dc.language: pt_BR
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Amazonas
metadata.dc.publisher.initials: UFAM
metadata.dc.publisher.department: Geografia
Instituto de Ciências Humanas e Letras
metadata.dc.publisher.program: PROGRAMA PIBIC 2013
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/4256
Issue Date: 31-Jul-2014
Appears in Collections:Relatórios finais de Iniciação Científica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Jessé Burlamaque Maciel.pdf793,2 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.