Please use this identifier to cite or link to this item: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/5011
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisor1Sandra do Nascimento Noda
dc.creatorDjalma Jacaúna Neves Pereira Júnior
dc.date.accessioned2017-05-29T18:14:58Z-
dc.date.available2017-05-29T18:14:58Z-
dc.date.issued2016-07-31
dc.identifier.urihttp://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/5011-
dc.description.abstractpt_BR
dc.description.resumoNa agricultura familiar há várias formas de unidade de produção organizadas e executadas pelos membros da família extensa ou nuclear, que não podem ser abrangidas por um único modelo ou numa mesma categoria de agricultores. As formas de exploração agrícola serão definidas pelas possibilidades e condições de produção do agricultor familiar como tamanho da área, tecnologia, capacidade técnica e financeira do agricultor. Há agricultores familiares que estão totalmente inseridos no mercado capitalista e a propriedade é uma empresa familiar rural. Há também aqueles que apesar de estar de certa forma ligada ao mercado capitalista, o que prevalece ainda é reprodução familiar, como é o caso dos agricultores familiares das comunidades de Tabatinga, AM. A Percepção Ambiental está sendo usada no sentido amplo de "uma tomada de consciência do ambiente pelo homem", ou seja, o ato de perceber e sentir o ambiente em que se está inserido, qual significado deste ambiente e que valores agrega em sua vida. A percepção dos agricultores familiares em relação à terra e ao ambiente como espaço de trabalho se mostra como um fator importante para a preservação e utilização do ambiente e dos recursos naturais. As plantas de múltiplo uso são assim reconhecidas por ser atribuído as mesmas valoração utilitária de possuírem propriedades medicinais, condimentares e alimentares pelos agricultores familiares, que ainda hoje fazem uso de espécies de múltiplo uso e são os detentores dos conhecimentos relacionados a essas plantas (etnoconhecimento) e desenvolveram as estratégias humanas de conservação (etnoconservação). Entretanto, o gradual abandono do cultivo das hortaliças não convencionais, mesmo pelos agricultores tradicionais, representa um risco muito grande que poderá conduzir a uma extrema redução da variabilidade genética, ou até mesmo, a extinção de espécies.pt_BR
dc.description.sponsorshipCNPQpt_BR
dc.formatPDF
dc.languagept_BRpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Amazonaspt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentCiências Fund. Des. Agrícolapt_BR
dc.publisher.departmentFaculdade de Ciências Agráriaspt_BR
dc.publisher.programPROGRAMA PIBIC 2015pt_BR
dc.publisher.initialsUFAMpt_BR
dc.rightsAcesso Restritopt_BR
dc.subjectPlantas de múltiplo uso, espacialização, recursos ambientais
dc.subject.cnpqCiências Agrárias: Agronomiapt_BR
dc.titleGEORREFERENCIAMENTO, PERCEPÇÃO AMBIENTAL E ETNOCONSERVAÇÃO DE ESPÉCIES DE MÚLTIPLO USO POR AGRICULTURA FAMILIAR NO MUNICÍPIO TABATINGA, AM.pt_BR
dc.typeRelatório de Pesquisapt_BR
dc.pibic.cursoAgronomiapt_BR
dc.pibic.tipobolsa
dc.pibic.nrprojetoPIB-A/0112/2015
dc.pibic.projetoGEORREFERENCIAMENTO, PERCEPÇÃO AMBIENTAL E ETNOCONSERVAÇÃO DE ESPÉCIES DE MÚLTIPLO USO POR AGRICULTURA FAMILIAR NO MUNICÍPIO TABATINGA, AM.
dc.pibic.dtinicio2015-08-01
dc.pibic.dtfim2016-07-31
Appears in Collections:Relatórios finais de Iniciação Científica

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.