Please use this identifier to cite or link to this item: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/5014
metadata.dc.type: Relatório de Pesquisa
Title: Conflitos territoriais na Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Igapó Açu.
metadata.dc.creator: Victor Ferreira Inácio
metadata.dc.contributor.advisor1: Therezinha de Jesus Pinto Fraxe
metadata.dc.description.resumo: As Unidades de Conservação do Amazonas foram criadas com o intuito de preservar e/ou conservar áreas ambientalmente vulneráveis e destacar politicamente o estado do Amazonas no âmbito nacional e internacional. Essas unidades territoriais têm aumentado quantitativamente nos últimos anos, com o estado do Amazonas despontando na criação de UCs, tendo aproximadamente 40% do território delimitado como área protegida. As UCs têm atuado significativamente no controle do desmatamento e na preservação ecossistêmica, entretanto tem emergido inúmeros conflitos advindos do processo de delimitação e implementação dessas áreas, estabelecendo normas de uso e restrições territoriais específicas. Dentre as UCs do Amazonas, a UC que apresenta maior zona de uso conflitivo (66.000ha) é a Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Uatumã, localizada nos municípios Itapiranga e São Sebastião do Uatumã. Dessa forma, torna-se imprescindível analisar os conflitos territoriais nessa RDS, visto a abundância da biodiversidade contida na unidade e a concentração populacional expressiva. A análise dos conflitos na RDS do Uatumã, objetivo deste projeto, poderá auxiliar na gestão da unidade e no fortalecimento da organização social e autonomia dos povos residentes, por meio das oficinas participantes, que serão realizadas para atingir os objetivos propostos. A intensificação da participação social no processo de planejamento e gestão das UCs pode mitigar significativamente os conflitos nessas unidades territoriais, dando a base suficiente para a construção de uma política de conservação e preservação ambiental de cunho endógeno. Assim sendo, as UCs podem garantir não só a diminuição do desflorestamento, mas também reflorestar áreas ambientalmente degradadas por meio do desenvolvimento de políticas ambientais específicas e sustentáveis. A mitigação dos conflitos emerge, nesse contexto, como um dos elementos principais da gestão que precisa ser desdobrado e trabalhado para a efetividade das UCs, daí reside a necessidade da análise dos conflitos territoriais e de seus reflexos na conjuntura ambiental.
Abstract: 
Keywords: Conflitos territoriais, unidades de conservação
metadata.dc.subject.cnpq: Ciências Agrárias: Agronomia
metadata.dc.language: pt_BR
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Amazonas
metadata.dc.publisher.initials: UFAM
metadata.dc.publisher.department: Ciências Fund. Des. Agrícola
Faculdade de Ciências Agrárias
metadata.dc.publisher.program: PROGRAMA PIBIC 2015
metadata.dc.rights: Acesso Restrito
URI: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/5014
Issue Date: 31-Jul-2016
Appears in Collections:Relatórios finais de Iniciação Científica

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.