Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/3090
Tipo de documento: Relatório de Pesquisa
Título: Frequência do canibalismo em diferentes fases de crescimento de matrinxã, Brycon amazonicus (Spix & Agassiz, 1829)
Autor(a): Jaquelinne Pinheiro da Silva
Orientador(a): Thais Billalba Carvalho
Resumo: O canibalismo pode ser definido como uma interação agressiva predatória intraespecífica que pode resultar em consumo total ou parcial de coespecíficos. Esse comportamento agressivo é exibido por várias espécies de peixes, torna-se um fator limitante em criação intensiva devido à diminuição da taxa de sobrevivência em cativeiro. Assim, o objetivo deste projeto é descrever o comportamento agressivo e avaliar a taxa de sobrevivência em diferentes estágios de crescimento de matrinxã, Brycon amazonicus. Para isso, serão realizados dois experimentos. Experimento I: análises comportamentais serão realizadas em 12, 24, 36 horas (fase larval), 48, 60 e 72 horas (fase juvenil) após a eclosão (n=10 / cada). Para cada tratamento experimental, três indivíduos serão aclimatados por 10 minutos e, em seguida, será feito o registro do comportamento (20 minutos). A taxa de locomoção será quantificada pela porcentagem de tempo que o animal se locomove (movimento retilíneo ou circular) durante cada observação. Já o comportamento agressivo será descrito e quantificado com base nas unidades comportamentais observadas. Após esse período, os espécimes (30 indivíduos / tratamento) serão fixados em formalina 4% para posteriores medidas biométricas (peso corporal e comprimento total). Experimento II: será comparada a taxa de sobrevivência dos peixes durante os seis períodos de observação (n=5), conforme descrito no experimento I. Os ovos fertilizados serão mantidos em incubadoras cilíndricas de 35 litros, com a água em regime de renovação constante e densidade de 1g de ovos por litro de água. A taxa de fertilização será medida 12 horas após a última dose de indução hormonal e a taxa de eclosão será observada 5 horas após a fertilização. Em cada cinco horas antes da observação, 100 larvas serão transferidas para recipientes (bandejas de polipropileno) de 50 x 30 cm e, em cada período, será verificada a taxa de sobrevivência das larvas expressa em porcentagem. Assim, os resultados fornecerão informações etológicas básicas que poderão ser utilizadas para prover melhorias em métodos de larvicultura e, consequentemente, aumentar a eficiência da produção comercial dessa espécie.
Resumo em outro idioma: 
Palavras-chave: interação agressiva
mortalidade
aquicultura
Área de conhecimento - CNPQ: Ciências Biológicas: Comportamento Animal
Idioma: pt_BR
País de publicação: Brasil
Editor: Universidade Federal do Amazonas
Sigla da Instituição: UFAM
Faculdade, Instituto ou Departamento: Ciências Fisiológicas
Instituto de Ciências Biológicas
Nome do programa: PROGRAMA PIBIC 2012
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/3090
Data do documento: 31-jul-2013
Aparece nas coleções:Relatórios finais de Iniciação Científica

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
PIB-B-0018-2012-_relatório_final.pdf659,38 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.