Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/3143
Tipo de documento: Relatório de Pesquisa
Título: AVALIAÇÃO QUIMICA E FARMACOLÓGICA DE CROTON sp CONTRA A MALARIA
Autor(a): Lais Cunha Vieira de Vasconcellos Dias
Orientador(a): Jefferson Rocha de Andrade Silva
Resumo: O uso de plantas medicinais no combate a doenças transpôs séculos, constituindo uma característica da cultura de um povo, principalmente em países subdesenvolvidos e emergentes. Essa população tem a incumbência de zelar por essa imensurável biblioteca de conhecimentos empíricos que norteiam as pesquisas cientificas. A população da região amazônica possui em seu berço essa rica fonte de informação tradicional, pois usufrui da imponente Floresta Amazônica com sua rica biodiversidade. A floresta Amazônica brasileira, com mais de 30 mil espécies vegetais, compreende cerca de 26 % das florestas tropicais remanescentes no planeta. Porém, apenas (15 a 17%) têm sido cientificamente estudadas para a avaliação de suas qualidades, segurança e eficácia. Os produtos naturais e seus derivados representam mais de 50% de todas as drogas em uso clínico no mundo. Das 119 substâncias químicas puras extraídas das plantas superiores usadas na medicina através do mundo, 74% delas têm o uso igual ou relacionado às plantas medicinais das quais foram isoladas. No Amazonas, seu extenso território e a baixa densidade populacional atrelados a má distribuição de renda faz das plantas medicinais o único recurso terapêutico das comunidades ribeirinhas. A falta de investimentos na terapia de doenças infecciosas, principalmente malária e leishmaniose, é preocupante, pois das novas drogas introduzidas no mercado um quantidade mínima tem aplicação em doenças tropicais. Após décadas de controle sistemático da malária e tentativas frustradas de erradicação da doença a malaria continua infectando milhões de pessoas. De acordo com o relatório anual da World Health Organization aproximadamente 216 milhões de casos de malaria ocorrem no mundo com mortalidade de 655 mil pessoas no ano. Traduzindo em números, uma criança morre a cada minuto de malária. No período de 2007 a 2009, foram diagnosticados 25.760 casos de malária no Amazonas, índice elevado se comparado a outros estados da federação. As dificuldades encontradas no combate a malária estão diretamente ligadas à resistência dos plasmódios aos agentes quimioterápicos sintéticos. Diante esse quadro, o presente projeto visa avaliar a espécie vegetal Croton sp em seus aspectos químicos e farmacológicos, tendo como principal objetivo o isolamento de sustâncias bioativas contra a malária. O gênero Croton (Euphorbiaceae) tem aproximadamente 1300 espécies. Os constituintes químicos de Croton abrangem principalmente terpenos, óleos voláteis, terpenos, flavonóides e alcalóides. A espécie possui diversas aplicações medicinais no combate a uma série de enfermidades, inclusive a malária.
Resumo em outro idioma: 
Palavras-chave: Alcalóides, óleo essencial, Croton
Área de conhecimento - CNPQ: Ciências Exatas e da Terra: Quimica dos Produtos Naturais
Idioma: pt_BR
País de publicação: Brasil
Editor: Universidade Federal do Amazonas
Sigla da Instituição: UFAM
Faculdade, Instituto ou Departamento: Química
Instituto de Ciências Exatas
Nome do programa: PROGRAMA PIBIC 2012
Tipo de acesso: Acesso Restrito
URI: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/3143
Data do documento: 31-jul-2013
Aparece nas coleções:Relatórios finais de Iniciação Científica

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.