Please use this identifier to cite or link to this item: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/3685
metadata.dc.type: Relatório de Pesquisa
Title: Cuidado parental em Dilocarcinus pagei Stimpson, 1861 (Crustacea, Decapoda, Trichodactylidae)
metadata.dc.creator: Bruna Lorena Oliveira dos Santos
metadata.dc.contributor.advisor1: Gustavo Yomar Hattori
metadata.dc.description.resumo: Crustáceos decápodes representam um grupo altamente diversificado ocorrendo em todas as profundidades dos ambientes aquáticos marinhos e dulcícolas, dentre os Trichodactylidae a espécie mais estudada é o caranguejo Dilocarcinus pagei Stimpson, 1861. No entanto estudos que contemplem sua biologia e ecologia são escassos e pouco se sabe sobre seu comportamento quanto ao cuidado parental para essa espécie. Com base nisso serão capturadas manualmente, nos barrancos das margens do rio ou macrófitas cerca de 3 fêmeas com filhotes e levadas ao laboratório onde serão medidas quanto à largura do cefalotórax com paquímetro (0,05mm), e colocadas em 3 aquário (100cmx50cmx40cm). Cada aquário possuirá água e aeração, sendo o fundo preenchido por sedimento do local. Fêmea e filhotes serão alimentados a cada 24hs, mantidos neste tanque sob luz e temperatura ambiente por 3 dias para aclimatação. Após aclimatação as fêmeas com os filhotes serão observados por 72 horas para registro de atividade tais como: 1) Locomoção (quando a fêmea caminhar no substrato com os filhotes); 2) Comendo filhotes (quando a mãe estiver se alimentado dos jovens); 3) abdômen aberto (quando a fêmea estiver com abdômen aberto para entrada de filhotes); autolimpeza (quando a fêmea limpa os pleópodos ou outros apêndices corpóreos); 4) imobilidade (quando o animal está parado sob o substrato). O segundo experimento será realizado apenas com os filhotes sem a presença da mãe para observação comportamental tais como: 1) alimentação (quando o animal pega o alimento e leva à boca); 2) escavação (quando escava o sedimento para se proteger); 3) exploração do ambiente (quando está se movendo); 4) imobilidade (quando o animal está parado sob o substrato); 5) interações sociais (quando se tocam); 6) autolimpeza (quando limpam os pleópodos ou outros apêndices corpóreos); 7) juntos (quando os filhotes estão aglomerados uns sobre os outros). A frequência de cada comportamento será comparada entre os períodos de dia e noite, assim também como a relação entre fêmea e filhote através do teste de X2. . O objetivo do presente trabalho é Observar o padrão de atividade da mãe em relação aos filhotes durante a noite e dia e verificar o comportamento dos filhotes sem os cuidados da mãe nos períodos diurno e noturno.
Abstract: 
Keywords: Crustacea, Decapoda, Trichodactylidae
metadata.dc.subject.cnpq: Ciências Biológicas: Zoologia
metadata.dc.language: pt_BR
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Amazonas
metadata.dc.publisher.initials: UFAM
metadata.dc.publisher.department: Instituto de Ciências Exatas e Tecnologia - Itacoatiara
metadata.dc.publisher.program: PROGRAMA PIBIC 2013
metadata.dc.rights: Acesso Restrito
URI: http://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/3685
Issue Date: 31-Jul-2014
Appears in Collections:Relatórios finais de Iniciação Científica

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.